Acessar o conteúdo principal
Europa/Economia

Comissão Europeia anuncia plano para dinamizar economia do bloco

Jean-Claude Juncker,o presidente da Comissão Europeia
Jean-Claude Juncker,o presidente da Comissão Europeia REUTERS/Vincent Kessler

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, anunciou nesta quarta-feira (26) o que deverá ser o maior projeto de seu mandato: a criação de um Fundo Europeu para o investimento estratégico que deverá mobilizar €315 bilhões nos próximos três anos.  O objetivo é relançar a economia do bloco através de garantias para os investimentos privados.

Publicidade

"Chegou a hora de lançar grandes obras e colocar de novo a Europa para trabalhar. Não precisamos de dinheiro novo, mas de uma nova arrancada e de novos investimentos", afirmou Juncker diante do parlamento europeu, onde foi anunciado o plano.

Na tentativa de convencer os mais céticos, Juncler se contentou em imaginar  "crianças em uma escola em Tessalônica estudando com computadores novos" ou "um francês recarregando seu carro elétrico em uma rodovia europeia como se estivesse abastecendo seu carro com combustível".

O plano de Juncker vai ser baseado sobre parte dos recursos vindos do orçamento europeu e também do Banco Europeu de Investimentos (BEI), o braço financeiro da União Europeia, que devem contribuir com 21 bilhões de euros em garantias, para atrair investimentos privados.  Para estimular os países a colaborar, os valores transferidos pelos governos não serão contabilizados no seu déficit nem em suas dívidas.

O dispositivo anunciado é considerado complexo e é baseado em uma "arquitetura financeira". Os €21 bilhões devem servir para "amortizador do risco" e para atrair, em troca de uma garantia sólida, recursos privados que atualmente não são investidos na economia real.

Por um efeito multiplicador de 15, a soma inicial deverá permitir a mobilização de €315 bilhões. A ideia é que o fundo apoie projetos de maior riscos que os defendidos atualmente pelo BEI. 

Em defesa de seu plano, Jean-Claude Juncker apelou para um "apoio político forte", de maneira a fazer com que o fundo seja operacional a partir de junho.  O plano será um dos assuntos da Cúpula europeia de chefes de Estado e de governo nos dias 18 e 19 de dezembro, em Bruxelas.

Reações positivas

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse nesta quarta-feira diante dos deputados do parlamento alemão que "apoia o princípio" do plano da Comissão Europeia. Segundo ela, os investimentos serão cruciais para a retomada da economia europeia, mas "será preciso mostrar em quais projetos".  A Confederação das Indústrias alemãs disse, através de um comunicado, que o plano é "um primeiro passo na boa direção".

O porta-voz do governo francês, Stéphane Le Foll, declarou que a "França acolhe favoravelmente a proposta do presidente Juncker, apesar de considerar que podemos, com o fundo de investimento estratégico proposto, melhorar ainda mais as condições para permitir que o investimento e o crescimento sejam uma prioridade europeia".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.