Acessar o conteúdo principal
Itália/ imigração

Itália já prendeu mais de 880 supostos traficantes de pessoas

Migrantes sírios desembarcam nesta terça-feira, 11 de agosto de 2015, na Ilha de Kos, na Grécia.
Migrantes sírios desembarcam nesta terça-feira, 11 de agosto de 2015, na Ilha de Kos, na Grécia. REUTERS/Yannis Behrakis

As autoridades italianas anunciaram nesta terça-feira (11) que, desde o início do ano, já prenderam mais de 880 supostos traficantes de pessoas que promoveram a ida de imigrantes ilegais para o país, pelo Mar Mediterrâneo. O balanço foi publicado pelo jornal italiano Avvenire.

Publicidade

Do total de detidos, cerca de 80 são suspeitos de serem responsáveis por redes de tráfico humano. Os demais são apontados como “homens sem escrúpulos que comandaram os barcos com um telefone por satélite e um alto-falante”.

Um eritreu é acusado de ter participado da organização de 23 viagens. A atividade rendeu até US$ 70 milhões ao suspeito, que disponibilizava os barcos para a realização dos trajetos – inclusive um que naufragou em outubro de 2013, causando a morte de 366 migrantes.

Entre os presos, estão 279 egípcios, 182 tunisianos, 77 senegaleses, 74 gambianos, 41 sírios, 39 eritreus, 29 marroquinos, 24 nigerianos e 22 líbios. Apesar do reforço da cooperação entre a Itália e esses países, nenhum chefe de quadrilha foi detido até agora.

Passageiros mostram os responsáveis

Desde janeiro, cerca de 270 mil migrantes chegaram à Itália pelo mar. Em geral, são os próprios passageiros que apontam para as autoridades quem eram os responsáveis pela viagem, quando ocorre uma emergência e eles precisam ser socorridos em alto mar. Os traficantes costumam ser violentos com os migrantes e agredi-los quando tentam se mexer, trocar de lugar ou pedir água durante o trajeto.

Ajuda financeira

Nesta segunda-feira (10), a Comissão Europeia anunciou o desbloqueio de € 2,4 bilhões até 2020 para ajudar os 19 países-membros a melhorar sua capacidade de recepção de refugiados e a segurança de suas fronteiras. A decisão é uma resposta ao pedido de ajuda lançado na semana passada pela Grécia e a Itália, que enfrentam um número crescente de pedidos de asilo. Os dois países são os principais beneficiados pelo financiamento: a Itália vai receber € 558 milhões e a Grécia, € 477 milhões.

Ontem, mais de 1.500 migrantes foram resgatados a bordo de sete embarcações precárias na costa da Líbia, no Mar Mediterrâneo. A operação mais difícil foi realizada em duas embarcações de madeira, superlotadas.

Cinco horas foram necessárias para resgatar 775 passageiros, entre eles, 196 mulheres e 40 crianças. Após o resgate, um dos barcos afundou e o outro pegou fogo.
De acordo com um recente relatório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, cerca de 224 mil migrantes chegaram à Europa através do Mediterrâneo desde o início do ano. Mais de 2,1 mil morreram tentando a travessia.

Com informações AFP

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.