Acessar o conteúdo principal
Vaticano/Pedofilia

Morre ex-arcebispo que seria primeiro a ser julgado por pedofilia no Vaticano

O ex-arcebispo polonês acusado de pedofilia, Josef Wesolowski, estava hospitalizado desde julho.
O ex-arcebispo polonês acusado de pedofilia, Josef Wesolowski, estava hospitalizado desde julho. REUTERS/Luis Gomez/Diario Libre/Files

O polonês Josef Wesolowski, ex-arcebispo que seria o primeiro religioso a ser julgado no Vaticano por abusos sexuais contra menores, morreu na madrugada desta sexta-feira (28). O anúncio foi feito pelo serviço de imprensa do Vaticano. 

Publicidade

Wesolowski, de 67 anos, tinha problemas de saúde que não foram revelados. Ex-núncio apostólico na República Dominicana, ele foi hospitalizado em julho, na véspera da abertura de seu processo.

O religioso não aparecia em público desde que foi chamado com urgência de Santo Domingo, onde informações da imprensa o acusavam de ter pagado para ter relações sexuais com menores.

Por essas acusações, o polonês havia sido julgado e punido em junho de 2014 pela Congregação da Doutrina da Fé, que o transformou em um cidadão laico. A pena é considerada a mais dura para um arcebispo.

O papa Francisco também autorizou a abertura de um processo penal contra Josef Wesolowski, decisão inédita no Vaticano. Em setembro de 2014, ele foi detido e teve a prisão domiciliar decretada, cumprida em um dos quartos do Palácio de Justiça, onde ficou à espra de seu processo.

Devido a seu estado de saúde, em dezembro, o ex-religioso foi autorizado a sair do Vaticano. Mas no útimo dia 10 de julho foi encaminhado a uma unidade de terapia intensiva, em Roma.

No dia seguinte, o processo por seus atos pedófilos em Santo Domingo e também por posse e dissimulação de uma "grande quantidade" de fotos de pornografia infantil, foi aberto na Santa Sé em sua ausência. A audiência durou apenas sete minutos e foi adiada por um período indeterminado.

(Com informações da AFP)
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.