Acessar o conteúdo principal
Europa/Crise migratória

Milhares de migrantes chegam à Alemanha e Áustria, vindos da Hungria

Migrantes, que estavam na Hungria Hongrie, chegaram neste sábado (5) à estação Oeste de Viena.
Migrantes, que estavam na Hungria Hongrie, chegaram neste sábado (5) à estação Oeste de Viena. AFP PHOTO / DIETER NAGL

Após vários dias de bloqueio na Hungria, milhares de migrantes começaram a chegar neste sábado (5) à Alemanha e à Áustria, países que aceitaram receber os refugiados. O governo húngaro fretou vários ônibus para levar os migrantes até a fronteira austríaca. A Áustria espera receber somente hoje 10 mil migrantes e a Alemanha entre 5 a 7 mil. Cerca de 500 refugiados que não conseguiram lugar nos ônibus iniciaram hoje uma nova marcha para chegar até a fronteira austríaca a pé.

Publicidade

Os primeiros ônibus fretados pelo governo húngaro chegaram à fronteira austríaca na madrugada deste sábado. Eles partiram a partir das 01H40 local (20H40 Brasília) da estação Budapeste-Keleti, onde milhares de migrantes estavam acampados e bloqueados devido a decisão de Hungria de suspender o tráfego ferroviário internacional. Cerca de 6,5 mil refugiados já estavam na Áustria por volta do meio-dia (7h em Brasília). O governo austríaco organizou ônibus e trens especiais para levar os refugiados até Viena. Muitos deles devem seguir direto para a Alemanha.

A decisão de receber os imigrantes pela Alemanha e a Áustria foi motivada pela "atual situação de emergência na fronteira húngara”. O anúncio foi feito na sexta-feira (4) ao premiê húngaro, Viktor Orban, pelo chanceler austríaco, Werner Faymann, "de comum acordo" com a chanceler alemã, Angela Merkel.

Desconfiança

Muitos imigrantes na estação Budapeste-Keleti desconfiaram do destino final dos ônibus e questionaram se iriam "para a fronteira ou para um campo" de refugiados. "Não fiquei tranquilo ao partir da estação Keleti", disse Mohammed, um sírio de 26 anos de Damasco. "Depois relaxei ao ver o rio Danúbio pela janela. Tinha ouvido falar dele, mas nunca tinha visto, é magnífico!"

A Áustria prevê a chegada de 10 mil refugiados hoje. A Cruz Vermelha e as forças de ordem estão preparadas para recebê-los, disse o porta-voz da polícia austríaca, Werner Fasching. Além de alimentos e instalações médicas, a Áustria disponibilizou 600 camas no setor de Nickelsdorf para acolher os refugiados, e mobilizou esforços nas regiões vizinhas, segundo Fasching.

Depois de dias de bloqueio, cerca de 1.200 imigrantes que estavam na Hungria se rebelaram nesta sexta-feira e iniciaram uma marcha a pé rumo à Áustria. Neste sábado, ao menos 500 refugiados, que não conseguiram embarcar nos ônibus fretados, também começaram a caminhar em direção à fronteira austríaca, que fica a 175 km de Budapeste.

Posição húngara

A Hungria, um dos principais países de trânsito na Europa Central, se defronta com uma onda de refugiados sem precedentes. Só na quinta-feira (3), a ONU calcula que chegaram ao país 3.300 pessoas, principalmente sírios e afegãos. No mês de agosto, A Hungria recebeu mais 50 mil refugiados.

A situação levou o Parlamento a aprovar nesta sexta-feira, em caráter de urgência, um reforço das leis anti-imigração, propostas pelo governo conservador de Viktor Orban, e decretar "estado de crise", uma disposição que concede maiores prerrogativas às autoridades.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.