Acessar o conteúdo principal
Dinamarca/Migrantes

Dinamarca tentar barrar fluxo de migrantes e suspende trens para Alemanha

Dois trens com cerca de 200 migrantes seguem bloqueados em Rodby, 135 quilômetros a sudoeste de Copenhague.
Dois trens com cerca de 200 migrantes seguem bloqueados em Rodby, 135 quilômetros a sudoeste de Copenhague. REUTERS/Jens Norgaard Larsen

A companhia ferroviária dinamarquesa DSB anunciou nesta quarta-feira (9) que cancelou todos os trens que chegam ou partem da Alemanha, depois que centenas de migrantes se negaram a desembarcar. Eles querem seguir o trajeto até a Suécia, onde as leis de imigração são menos rígidas e há mais benefícios para os refugiados. Pelo menos dois trens com 200 pessoas seguiam bloqueados nesta tarde na cidade de Rodby, 135 quilômetros a sudoeste de Copenhague.

Publicidade

"Foi a polícia quem nos pediu para fazer isso", explicou um porta-voz da DSB, enquanto outras centenas de migrantes marchavam por uma estrada com o objetivo de chegar à Suécia. "Não sabemos quanto tempo isso pode durar e não temos mais informações", reagiu a companhia de trens alemã, Deutsche Bahn.

Estocolmo tem leis de asilo mais generosas do que a Dinamarca. Por isso, os migrantes preferem viajar até a Suécia e fazer o pedido de asilo lá. Mesmo que isso exija um longo caminho a pé e fuga da polícia.

Quando as autoridades explicam a eles que, recusando regularizar a situação na Dinamarca, eles correm o risco de serem reenviados à Alemanha, muitas pessoas tentam fugir. Perseguidos pela polícia dinamarquesa, são enviados a centros de refugiados.

Mulheres, crianças e idosos

A polícia também fechou hoje parte de uma rodovia em Padborg, no sul da Dinamarca, para impedir a passagem de um grupo de cerca de 300 pessoas que tenta chegar a pé à Suécia. Embora eles sejam acompanhados por policiais, autoridades garantiram que não vão tentar barrá-los "à força".

Muitas mulheres, crianças e idosos fazem parte do grupo. Esgotados, alguns dos refugiados mais velhos pediram à polícia para serem levados de volta ao centro de refugiados.

A Suécia é, ao lado da Alemanha, uma das destinações preferidas dos refugiados, especialmente os sírios. A Dinamarca é um dos países menos atraentes da União Europeia porque concede direitos apenas de residência temporária. Além disso, tem leis complicadas para reunião das famílias e vem reduzindo o número de benefícios aos novos imigrantes.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.