Acessar o conteúdo principal

Novos suspeitos dos ataques de Paris são procurados pela França e Bélgica

Polícia belga divulgou nesta sexta-feira (4) imagens dos dois novos suspeitos de participação nos atentados do 13 de novembro em Paris.
Polícia belga divulgou nesta sexta-feira (4) imagens dos dois novos suspeitos de participação nos atentados do 13 de novembro em Paris. Polícia da Bélgica

A procuradoria-geral da Bélgica divulgou nesta sexta-feira (4) que dois novos suspeitos dos atentados de 13 de novembro de Paris estão sendo procurados pelas polícias francesa e belga. Eles são perigosos e devem estar armados, advertem as autoridades que divulgaram várias fotos da dupla.

Publicidade

De acordo com informações da procuradoria-geral da Bélgica, os dois homens passaram com identidades falsas na fronteira entre a Hungria e a Áustria na companhia do principal suspeito dos ataques de Paris, Salah Abdeslam, no dia 9 de setembro. Nos documentos apresentados, os suspeitos foram identificados como Samir Bouzid e Soufiane Kayal, ambos de nacionalidade belga.

Segundo as investigações, a identidade de Samir Bouzid foi utilizada quatro dias após os atentados de Paris, no dia 17 de novembro por volta das 18h locais, em uma agência do banco Western Union, na região de Bruxelas. O homem transferiu um montante de € 750 a Hasna Aït Boulahcen, prima de Abdelhamid Abaaoud, suposto mentor dos ataques de Paris. Ele e Boulahcen morreram na ação policial realizada no apartamento que servia de esconderijo ao grupo em Saint-Denis, no dia 18 de novembro.

A outra identidade falsa, em nome de Soufiane Kayal, foi usada para alugar uma casa em Auvelais, no sul da Bélgica. A residência, vasculhada no dia 26 de novembro, poderia ter servido de esconderijo dos jihadistas ou mesmo para armazenar o material bélico utilizado nos atentados de Paris.

Suspeitos podem estar armados

"Eles são perigosos e devem estar armados", indicou a polícia da Bélgica. As autoridades também divulgaram um alerta, acompanhado de várias fotos, duas carteiras de identidade e um vídeo feito por câmeras de segurança. De acordo com a procuradoria, as imagens foram gravadas durante a transferência de dinheiro. Além disso, a polícia lançou um apelo para conseguir testemunhas.

O governo da Hungria revelou nesta quinta-feira (3) que Salah Abdeslam recrutou "uma equipe" em um grupo de migrantes que passou pela estação de trem de Budapeste. As autoridades húngaras não informaram, entretanto, a identidade dessas pessoas, se elas participaram dos atentados de Paris ou a data em que elas foram convocadas pelo suposto terrorista.

Nove pessoas seguem detidas na Bélgica

No total, a polícia da Bélgica mantém presos para interrogatório oito suspeitos de ter ligação com os ataques na capital francesa. De acordo com a procuradoria belga, duas batidas foram realizadas nesta sexta-feira na localidade de Schaerbeek, perto de Bruxelas.

Entre os principais suspeitos, dois seguem foragidos: Salah Abdeslam e Mohamed Abrini, contra quem as autoridades emitiram dois mandados de busca internacional. Abrini, um belga-marroquino de 30 anos, foi filmado em um posto de gasolina dirigindo o Clio que foi utilizado, dois dias depois, para transportar os terroristas aos locais onde realizariam os atentados em Paris.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.