Acessar o conteúdo principal
Epidemia

Espanha registra primeiro caso de zika em uma grávida na Europa

Além do vírus zika, o mosquito Aedes Aegypti também é vetor da dengue e do chikungunya.
Além do vírus zika, o mosquito Aedes Aegypti também é vetor da dengue e do chikungunya. REUTERS/Jaime Saldarriaga

Uma mulher grávida, que vive na Espanha e viajou recentemente para a Colômbia, foi diagnosticada com o vírus zika, anunciou nesta quinta-feira (4) o ministério da Saúde espanhol. Este seria o primeiro caso conhecido de uma gestante na Europa infectada com o vírus.

Publicidade

A paciente diagnosticada "é uma mulher grávida, que apresentou sintomas após uma viagem à Colômbia", anunciou durante uma coletiva de imprensa Joan Guix, responsável de Saúde do governo regional da Catalunha, onde vive a gestante. O ministério indicou que o caso foi incluído numa lista de sete casos "importados", de pessoas que contraíram o vírus durante uma viagem a zonas de risco.

A mulher de 41 anos, de origem latino-americana, está entre a 13ª e 14ª semana de gestação e será submetida a mais controles ginecológicos do que o padrão, embora exista uma "probabilidade baixa de que algum problema ocorra", afirmou Guix. Na 15ª semana de gravidez será realizada uma ecografia para comprovar se o desenvolvimento do feto é normal, explicou.

Além da gestante, pelo menos sete pessoas, três delas na Catalunha, foram diagnosticadas com o vírus, "todas elas após terem visitado países infectados", segundo o ministério da Saúde. O órgão só registra os casos confirmados pelo Centro Nacional de Microbiologia de Madri, embora admita que possa haver contaminados.

"Os casos de zika vírus diagnosticados até o momento na Espanha entram no previsto pelos epidemiologistas e não representam risco de propagação do vírus em nosso país", ressaltou o ministério espanhol, anunciando a preparação de um protocolo de autuação nacional que deve ser aprovado em 10 de fevereiro.

Dezenas de casos já foram registrados na Europa entre pessoas que estiveram na América Latina. Mas até o momento, nenhuma grávida havia sido registrada.

Risco maior para gestantes

A Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou na segunda-feira (1°) estado de emergência pública internacional pelo possível vínculo entre o contágio de zika em mulheres grávidas e o aumento de casos de bebês nascidos com microcefalia. O vírus também é suspeito de causar a síndrome neurológica de Guillain-Barré (SBG), que pode provocar uma paralisia definitiva.

Transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti, que também é vetor da dengue e do chikungunya, o zika vírus se expandiu particularmente pela América do Sul, região mais afetada, com mais de 1,5 milhões de casos no Brasil e mais de 20.000 na Colômbia.

(Com informações da AFP)
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.