Acessar o conteúdo principal
França/Egito/Acidente

Egito desmente tese de explosão de avião após testes dos restos mortais

Destroços do avião encontrados e resgatados pela marinha egípcia.
Destroços do avião encontrados e resgatados pela marinha egípcia. Egyptian Military/Handout via Reuters ATTENTION EDITORS

O diretor da autoridade egípcia de medicina legal desmentiu nesta terça-feira (24) as informações de que os primeiros testes nos restos mortais resgatados no mar Mediterrâneo sugeririam uma explosão a bordo do voo MS804 da companhia aérea EgyptAir.

Publicidade

"Tudo o que foi publicado em relação a este assunto é absolutamente falso e se baseia em simples suposições que não tem origem na autoridade de medicina legal", declarou Hicham Abdelhamid por meio de um comunicado divulgado pela agência de notícias Mena.

Outras fontes, que são informadas sobre o andamento das investigações da catástrofe aérea na quinta-feira (19), confirmaram que ainda era prematuro dizer por que o Airbus A320 caiu no mar.

Pela manhã, um responsável pelos serviços egípcios de medicina legal havia declarado que o tamanho muito pequeno dos restos mortais encontrados reforçava a hipótese de uma explosão a bordo. "O maior pedaço encontrado era do tamanho da palma de uma mão", afirmou a fonte, que pediu anonimato.

Os especialistas egípcios de medicina legal começaram a recolher amostras de DNA dos familiares dos 66 passageiros e membros da tripulação a bordo do voo MS804 para ajudar na identificação dos restos mortais encontrados no mar Mediterrâneo.

O material coletado, que inclui destroços do aparelho, poderá contribuir para tentar esclarecer as causas do desaparecimento do Airbus A 320 da EgyptAir que caiu ao norte de Alexandria quando efetuava o trajeto Paris-Cairo.

As buscas no local onde os destroços foram encontrados, a 290 km ao norte de Alexandria, ainda não permitiram localizar o avião nem as caixas-pretas.

Os investigadores trabalham a partir dos destroços, das bagagens, das roupas e também de análises químicas para identificar supostos indícios de uma eventual explosão a bordo.

Na segunda-feira (23), o procurador-geral do Egito, Nabil Sadek, pediu às autoridades gregas de enviarem as transcrições das conversas entre o piloto da EgyptAir e os responsáveis pelo controle aéreo do espaço grego, último contato feito pela aeronave antes de desaparecer dos radares.

O procurador também encaminhou pedido às autoridades francesas para recolher todos os dados sobre a escala do aparelho no aeroporto Charles-de-Gaulle e de todo seu trajeto pelo espaço aéreo francês.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.