Acessar o conteúdo principal
Europa/visto

Bruxelas propõe autorização prévia para turistas que não precisam de visto

Proposta europeia pede autorização prévia para visitantes ao bloco europeu.
Proposta europeia pede autorização prévia para visitantes ao bloco europeu. Flickr

O brasileiro que quiser visitar países da União Europeia poderá ter de pagar por uma autorização válida por cinco anos a partir de 2020. A regra se aplica para cidadãos de países que atualmente não precisam de visto. A proposta foi anunciada nesta quarta-feira (16), pela Comissão Europeia.

Publicidade

Inspirado em um dispositivo em vigor nos Estados Unidos, o sistema europeu, batizado de ETIAS, foi apresentado como um instrumento de segurança para as fronteiras exteriores do bloco, ao identificar indivíduos de risco antes da chegada destes ao território. O Canadá e o Japão também adotam um procedimento de autorização prévia para estrangeiros.

Os cidadãos atualmente isentos de vistos como os procedentes dos Estados Unidos, Canadá, Japão, quase todas as nações latino-americanas - excetuando-se Bolívia, Equador e Cuba - deverão solicitar essa autorização para circular pelos 22 países da UE dentro do espaço Schengen, assim como a Islândia, Noruega, Suíça e Liechtenstein.

Cruzamento de dados

Esse mecanismo "corrigirá um vazio ao verificar e cruzar os dados relativos aos candidatos isentos de visto com os presentes em nossos sistemas", defendeu o primeiro vice-presidente do executivo comunitário, Frans Timmermans, para quem será um sistema "simples, rápido, barato e eficaz". As informações dos pedidos serão comparados aos de outras bases europeias, como o sistema Schengen e o da Europol, identificando potenciais imigrantes irregulares ou pessoas que possam ameaçar a segurança.

A proposta deverá ser adotada pelo Conselho Europeu (representando os Estados membros) e pelo Parlamento Europeu. Em caso de sinal verde, a Comissão calcula que o sistema será operacional a partir de 2020.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.