Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Quase 150 times britânicos estão envolvidos em casos de pedofilia

Áudio 05:16
O ex-jogador britânico Andy Woodward consola Steve Walters, também ex-jogador. Ambos foram abusados sexualmente quando crianças pelo técnico Barry Bennell.
O ex-jogador britânico Andy Woodward consola Steve Walters, também ex-jogador. Ambos foram abusados sexualmente quando crianças pelo técnico Barry Bennell. REUTERS/Phil Noble

A polícia do Reino Unido confirmou que cerca de 150 clubes de futebol do país, profissionais e amadores, estão implicados em acusações de abuso de crianças e adolescentes desde a década de 60. Os casos começaram a ser revelados em novembro, depois que um ex-jogador contou à imprensa que foi abusado sexualmente na adolescência pelo treinador, em um time da segunda divisão. Desde então, o número de possíveis vítimas que estão sendo atendidas pela polícia já passa de 400. O assunto está escandalizando o país onde nasceu o futebol e que tem alguns dos técnicos e jogadores mais bem pagos do mundo.

Publicidade

Maria Luísa Cavalcanti, correspondente da RFI em Londres

A primeira denúncia veio do ex-jogador Andy Woodward, hoje com 43 anos. Ele revelou que foi abusado sexualmente dos 11 aos 15 anos quando treinava e competia com o time de base do Crewe Alexandra, uma equipe profissional da segunda divisão. Woodward acusou o técnico dele, Barry Bennell, que hoje tem 62 anos.

Bennell já tinha sido condenado e preso por outras acusações de pedofilia e abuso sexual de menores, em casos isolados. Mas com a história de Woodward e o fato de se tratar de uma confissão de um homem adulto e relativamente conhecido, falando de como o trauma ainda o persegue, pesou muito para sensibilizar a opinião pública.

Além disso, há apenas quatro anos, o país viveu o pesadelo de saber que um dos apresentadores de televisão mais queridos do público britânico, Jimmy Savile, esteve envolvido em centenas de casos de abuso e estupro de crianças durante décadas. Quando o escândalo de Savile veio à tona, foi um choque para o país saber que durante todo esse tempo, os profissionais que conviviam com o apresentador, - inclusive os chefes dele e a direção da emissora onde ele trabalhava -, sabiam desses abusos e não agiram para impedi-los, proteger sua imagem e a imagem do apresentador.

As denúncias acabaram envolvendo outras grandes figuras do mundo da televisão e da mídia. Portanto, agora há um ambiente mais favorável para que essas novas denúncias sejam feitas. E, assim como aconteceu no caso Savile, a primeira acusação trouxe à tona uma enxurrada de novos casos, envolvendo até mesmo ex-jogadores da seleção inglesa e alguns dos times da primeira divisão.

148 clubes e 429 vítimas

A polícia aponta o envolvimento de, pelo menos, 148 clubes e 429 vítimas até agora. Logo depois das denúncias de Woodward, vários outros ex-jogadores, de outros times, também vieram a público para contar suas histórias.

A principal ONG de proteção à infância do país abriu uma linha telefônica especialmente para atender a denúncias desse tipo e esse número só vem aumentando. Muitas das vítimas são pessoas que jogaram futebol na infância mas não seguiram na carreira – como é o caso da maioria das crianças e adolescentes.

Em um relatório divulgado na quarta-feira (21), uma comissão especial da polícia revelou que 98% das vítimas são homens e os abusos ocorreram quando alguns tinham apenas 4 anos de idade. A polícia identificou pelo menos 155 suspeitos. A maioria dos casos ocorreu nas equipes de base e nos times que disputam campeonatos infantis e juvenis.

Entre os clubes, há equipes amadoras e profissionais, e alguns dos mais famosos times do país, como o Chelsea e o Manchester City. Essas duas equipes já anunciaram que lançaram uma investigação independente sobre as acusações.

Escândalo abala futebol britânico

Esse caso já está sendo visto como o maior escândalo envolvendo o futebol britânico, um dos mais respeitados do planeta e um dos que movimentam a maior quantidade de dinheiro em todo o mundo.

A Football Association (FA), responsável pela organização dos campeonatos e pela seleção inglesa, iniciou uma investigação interna para tentar identificar quais autoridades e que clubes sabiam dos abusos, e por que nenhuma atitude foi tomada para impedi-los. Há suspeitas de que a própria federação sabia da situação. A organização está sendo bastante criticada por não ter feito mais para impedir os abusos sistemáticos.

Além disso, alguns parlamentares estão pedindo que a Comissão de Esportes, Mídia e Cultura do Parlamento também comece um inquérito formal sobre o caso.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.