Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Ausência de premiê em funeral de Mário Soares divide opiniões

Áudio 04:12
Milhares de portugueses de luto se despediam nesta segunda-feira de Mario Soares, considerado o "pai da democracia", cujo caixão percorreu as principais ruas de Lisboa sob os aplausos da multidão.
Milhares de portugueses de luto se despediam nesta segunda-feira de Mario Soares, considerado o "pai da democracia", cujo caixão percorreu as principais ruas de Lisboa sob os aplausos da multidão. REUTERS/Rafael Marchante

Portugal se despede nesta terça-feira (10) do ex-presidente socialista Mário Soares, que faleceu no sábado aos 92 anos. A ausência do primeiro-ministro português, António Costa, nas homenagens fúnebres a Soares divide a opinião pública.

Publicidade

Adriana Niemeyer, correspondente em Lisboa

António Costa, que também é socialista, é o primeiro chefe de governo europeu de origem indiana. Ele está em visita oficial de seis dias à Índia e cumpre uma agenda considerada essencial para atrair investimentos para Portugal. Prova da importância da visita, o premiê português tem sido tratado no país de origem de seu pai como um "filho" da Índia.

Essa é a primeira visita de Estado de um líder português ao território indiano desde que o próprio Soares esteve na Índia em 1992 e reatou as relações diplomáticas entre os dois países desde o conflito de Goa, a Índia Portuguesa que foi invadida pelo exército indiano em 1961. Muitos ainda se recordam da imagem de Soares passeando em cima de um elefante com um turbante na cabeça. Costa disse que manter a visita de Estado, nesse contexto, representa "uma continuação do legado de Soares".

Líderes estrangeiros participam de homenagem no Mosteiro dos Jerônimos

O corpo de Soares está sendo velado no Mosteiro dos Jerônimos, um dos principais monumentos históricos de Lisboa, onde estão sepultados os corpos do rei D. Henrique, do navegador Vasco da Gama e do poeta Fernando Pessoa. A grande cerimônia de adeus a Soares, antes do novo cortejo que levará o corpo do ex-presidente até o Cemitério dos Prazeres, começa às 13h no horário local.

O funeral contará com a presença de várias personalidades políticas estrangeiras. Estão confirmadas as presenças de antigos companheiros, como o ex-primeiro-ministro francês Lionel Jospin, o espanhol Felipe Gonzales, o ex-presidente José Sarney, o ex-presidente da Comissão Europeia Jacques Santer, todos políticos que eram amigos pessoais de Soares. Estarão presentes representando os seus países o rei Felipe VI, da Espanha, o príncipe marroquino Moulay Rachid, irmão do rei do Marrocos, o presidente do Parlamento Europeu, Martin Shulz, e os presidentes da Guiné Bissau e Cabo Verde. O presidente brasileiro, Michel Temer, também chegou a Lisboa na noite desta segunda-feira e será recebido pelo presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, antes do funeral de Estado.

Portugueses saem às ruas para saudar "pai da democracia"

Os três dias de luto nacional decretados pelo governo, desde segunda-feira (9), foram marcados por tributos ao "pai da democracia portuguesa". A primeira homenagem oficial aconteceu na Câmara Municipal de Lisboa, onde o caixão foi transferido para uma carruagem puxada por quatro cavalos e acompanhada por outros 80 oficiais da cavalaria do exército português até o Palácio de Belém, onde uma multidão esperava para homenageá-lo.

Milhares de pessoas acompanharam o trajeto do cortejo fúnebre pelas principais ruas de Lisboa. Desde sábado, o dia do falecimento, os portugueses fizeram longas filas para assinar os livros de condolências abertos pelo Partido Socialista, no Largo do Rato, e na residência de Soares. Cartazes nas ruas da capital mostram a imagem do ex-líder democrata caminhando na praia ao lado da mensagem "Obrigado Mário Soares".

O ex-presidente também recebeu muitas homenagens da imprensa. Todo ano ele oferecia um almoço informal para ouvir a opinião dos jornalistas estrangeiros sobre vários temas portugueses e internacionais. Soares costumava participar de alguns debates promovidos pela imprensa estrangeira. Ele foi, sem dúvida, o político português mais aberto às mídias estrangeiras e aquele que mais promoveu o seu país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.