Acessar o conteúdo principal

Em referendo, suíços decidem facilitar naturalização de netos de imigrantes

Suíços votam em referendo neste domingo, 12 de fevereiro de 2017
Suíços votam em referendo neste domingo, 12 de fevereiro de 2017 FABRICE COFFRINI / AFP

Os eleitores da Suíça foram às urnas neste domingo (12) para votar contra ou a favor de uma emenda constitucional para facilitar a naturalização de netos de imigrantes. Havia resistência mas o "sim" venceu.

Publicidade

Cerca de 59% de suíços rejeitaram a ideia de que a proposta possa representar uma ameaça para a segurança nacional, como argumenta a extrema-direita.

O governo suíço, que incentivou a iniciativa, esclareceu que a medida será válida para os jovens de origem estrangeira, com menos de 25 anos, que nasceram e vivem na Suíça, desde a chegada dos seus avós. O motivo de organizar o referendo se explica pelos atuais procedimentos de naturalização, muito demorados e caros. Assim, a emenda constitucional aprovada hoje somente simplifica a obtenção da nacionalidade, porém, não a torna automática.

Nos próximos dez anos, cerca de 2.300 jovens da terceira geração de imigrantes poderão beneficiar, anualmente, da "naturalização facilitada". Hoje, em torno de 25.000 netos de imigrantes, a maioria vindos da Itália, mas também da Turquia e dos Balcãs, atendem as exigências para serem naturalizados.

O texto esclarece que "os solicitantes devem ter frequentado escolas suíças por, no mínimo, cinco anos, compartilhar os valores culturais do país, falar uma das línguas nacionais e não depender de nenhum tipo de ajuda pública". Um de seus pais deve ter vivido ao menos 10 anos no país e frequentado a escola durante cinco anos. Finalmente, um dos dois avós deve ter uma carteira de residente ou ter nascido na Suíça.

Alerta ao aumento de muçulmanos

A maioria do Parlamento apoiava o projeto, mas a UDC (União Democrática do Centro, com maioria da Câmara dos Deputados) alertou os suíços contra a "superpopulação estrangeira e o aumento relevante do número de muçulmanos. Uma grande campanha da oposição espalhou cartazes pela confederação com a imagem de uma mulher usando uma burca (o véu muçulmano integral) e a frase: "Não à naturalização sem verificação".

A Suíça tem cerca de 8,3 milhões de habitantes. Desse total, 1/4, ou seja, em torno de 2 milhões, são estrangeiros, dos quais metade é de origem europeia.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.