Acessar o conteúdo principal
Reino Unido/ataque

Reino Unido reduz nível de alerta terrorista cinco dias depois de ataque suicida

A polícia britânica avança rapidamente na investigação sobre o ataque em Manchester
A polícia britânica avança rapidamente na investigação sobre o ataque em Manchester (Foto: Reuters)

O nível de alerta terrorista no Reino Unido foi rebaixado neste sábado (27) de "crítico" para "grave". Segundo a primeira-ministra britânica, Theresa May, houve progressos na investigação sobre o ataque de Manchester e a prisão de onze suspeitos descarta em princípio a ocorrência de um ataque iminente.  

Publicidade

A diminuição da ameaça significa que um atentado é "altamente provável", mas não "iminente". O alerta atingiu seu nível máximo na terça-feira, depois do ataque suicida em Manchester, que deixou 22 mortos e 116 feridos na segunda-feira (22),após um show da cantora pop americana Ariana Grande.

Apesar dos avanços nas investigações, que culminou na prisão de 11 suspeitos, a premiê pediu aos britânicos que "permaneçam vigilantes" no final de semana. O exército continuará dando apoio à polícia nos próximos três dias, para proteger eventos como a final da Copa da Inglaterra de futebol e do Campeonato Nacional de Rúgbi.

A Polícia britânica publicou na noite deste sábado (27) fotos de Salman Abedi com boné e mochila, registradas por uma câmera de segurança na noite do atentado, pedindo a colaboração de testemunhas para reconstituir sua trajetória nos quatro dias que antecederam o ataque.

Abedi utilizou uma bomba sofisticada, construída provavelmente por cúmplices da rede em parte desmantelada pela polícia. O ataque foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI), que cometeu uma série de atentados na Europa nos últimos tempos, mas tem sofrido importantes derrotas em seus territórios na Síria e no Iraque.

Passagem pela Líbia

Segundo uma fonte próxima à família, Abedi estava na Líbia, país de seus pais, dias antes do atentado.O pai e um dos irmãos do terrorista foram detidos na Líbia. Seu pai era membro do Grupo Islâmico Combatente Líbio (Gicl), muito ativo nos anos 1990, e opositor ao regime do ditador Muamar Kadhafi, deposto em 2011.

De acordo com a polícia alemã, ele fez escala em Düsseldorf antes do ataque. A polícia também sabe que Abedi alugou um apartamento em Manchester, de onde foi para o estádio Arena no dia do atentado. A bomba pode ter sido montada no local, segundo o comissário Ian Hopkins, encarregado de antiterrorismo Neil Basu.

Ontem a polícia prendeu dois homens de 20 e 22 anos, depois de realizar uma "explosão controlada" durante uma operação no distrito de Cheetham Hill, ao norte de Manchester, segundo um comunicado.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.