Acessar o conteúdo principal

Líderes mundiais condenam atentado que deixou vários mortos e feridos em Barcelona

Emmanuel Macron, presidente da França
Emmanuel Macron, presidente da França Reuters

Líderes mundiais condenaram o atentado desta quinta-feira (17) na Rambla de Barcelona, um dos lugares mais movimentados da capital da Catalunha. Uma van atropelou dezenas de pessoas no famoso calçadão no centro da cidade, matando ao menos 13 e ferindo cerca de 80, algumas em estado grave. O local estava lotado de moradores e turistas, em pleno verão europeu.

Publicidade

O presidente norte-americano, Donald Trump, prometeu a ajuda dos Estados Unidos às autoridades espanholas. "Sejam corajosos e fortes, nós os amamos!", escreveu no Twitter.

O secretário de Estado, Rex Tillerson, disse que está sendo dada assistência consular aos americanos na cidade e exortou os cidadãos do país a permanecerem com suas famílias.

Em coletiva, ele ofereceu condolências pela perda de vidas e pelas pessoas que ficaram feridas. "Os terroristas ao redor do mundo deveriam saber: os Estados Unidos e nossos aliados estamos determinados a encontrá-los e levá-los à Justiça", afirmou.

O presidente francês, Emmanuel Macron, transmitiu "a solidariedade da França às vítimas do trágico ataque". "Nós permanecemos unidos e determinados", escreveu no Twitter.

O ministro de Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian, e a secretária de Estado de Assuntos Europeus, Nathalie Loiseau, expressaram, em um comunicado, "sua solidariedade com as vítimas, bem como com as autoridades e o povo espanhóis".

O presidente russo, Vladimir Putin, pediu que o mundo se una "em uma batalha intransigente contra as forças do terror".

"O que aconteceu confirma mais uma vez a necessidade de uma legítima união dos esforços de toda a comunidade mundial em uma batalha intransigente contra as forças do terror", disse Putin em um telegrama ao rei espanhol, Felipe VI, descrevendo o ataque como um "crime cruel e cínico".

Governo brasileiro

Em comunicado, o governo brasileiro disse que “deplora veementemente o ataque terrorista de Barcelona”. “O Brasil reitera sua condenação a todo e qualquer ato de terrorismo, qualquer que seja sua motivação, ao mesmo tempo em que expressa, consternado, seu sentimento de pesar às famílias das vítimas e estende votos de plena e rápida recuperação aos feridos.”

O Reino Unido, afetado por vários atentados nos últimos meses, "apoia a Espanha contra o terrorismo", afirmou a primeira-ministra britânica, Theresa May.

"Meus pensamentos estão com as vítimas do terrível ataque de hoje em Barcelona e com os serviços de emergência. O Reino Unido apoia a Espanha contra o terrorismo", declarou  May no Twitter.

A Casa Real espanhola e o premiê Mariano Rajoy também condenaram o ataque "Não vão nos aterrorizar. Toda a Espanha é Barcelona. A Rambla voltará a ser de todos", escreveu a Casa Real no Twitter, enquanto Rajoy tuitou: "Os terroristas nunca vão derrotar um povo unido que ama a liberdade frente à barbárie".

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.