Acessar o conteúdo principal

Espanha identifica último jihadista dos atentados de Barcelona e Cambrils

Memorial improvisado em Las Ramblas, em 22 de agosto de 2017, em homenagem às vítimas dos atentados
Memorial improvisado em Las Ramblas, em 22 de agosto de 2017, em homenagem às vítimas dos atentados REUTERS/Albert Gea

A polícia regional da Catalunha anunciou nesta quinta-feira (24) que identificou formalmente o último integrante da célula jihadista que executou os atentados de Barcelona e Cambrils, onde morreram 15 pessoas.

Publicidade

"Youssef Aalla é o segundo corpo identificado na explosão de Alcanar", informou a polícia regional (Mossos d'Esquadra), a respeito da cidade catalã onde aconteceu uma explosão acidental do arsenal que era preparado pelos jihadistas. O cadáver "corresponde ao último integrante da célula" cuja identidade dependia de confirmação, indicou a polícia.

A célula jihadista fabricava explosivos em uma casa de Alcanar, 200 km ao sudoeste de Barcelona, para executar atentados de grande dimensão. No entanto, a manipulação do material, que incluía 120 cilindros de gás, pregos, detonadores e pelo menos 500 litros de acetona, provocou uma explosão acidental que destruiu a casa e matou duas pessoas.

O primeiro corpo identificado na casa foi o de Abdelbaki Es Satty, imã de Ripoll, pequena cidade do norte da Catalunha na qual moravam a maioria dos membros da célula. O religioso é apontado como o responsável pela radicalização dos integrantes do grupo, que matou 15 pessoas nos ataques de Barcelona e Cambrils.   

Youssef Aalla tinha dois irmãos na célula: Said, de 18 anos, morto pela polícia em Cambrils, e Mohammed, de 27 anos, interrogado na terça-feira (22) por um juiz de Madri, que decidiu deixá-lo em liberdade sob controle judicial.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.