Acessar o conteúdo principal

Site é acusado de incitar prostituição de estudantes na Bélgica

Caminhão-outdoor do site de encontros com os dizeres "Melhorem seu estiulo de vida, saiam com um sugar daddy", direcionados a estudantes em Bruxelas
Caminhão-outdoor do site de encontros com os dizeres "Melhorem seu estiulo de vida, saiam com um sugar daddy", direcionados a estudantes em Bruxelas Reprodução Tweeter/ Le Soir

O governo belga deve tomar medidas legais contra a campanha publicitária de um site de relacionamentos que promete ajudar a melhorar a vida financeira de jovens estudantes, por meio de encontros com homens mais velhos e ricos, disseram as autoridades nesta terça-feira (26).

Publicidade

O site norueguês RichMeetBeautiful (rico encontra bonita, em tradução livre) enfrentou acusações na Bélgica de promover a prostituição, seguindo uma campanha de publicidade que envolveu caminhões com enormes outdoors que passavam pelas universidades em Bruxelas.

Os outdoors traziam uma imagem de uma mulher mal escondida por um sutiã vermelho, com o slogan "Ei, estudantes! Melhorem seu estilo de vida, saiam com um" sugar daddy".

Um sugar daddy (pai de açúcar, em tradução literal) é um homem rico e de meia idade que investe livremente em uma jovem em troca de sua companhia ou intimidade, de acordo com o Dictionary.com.

Os caminhões foram estacionados na segunda-feira (25), fora da Universidade Livre de Bruxelas (ULB), uma das principais universidades do país, para o início do novo ano letivo.

De acordo com o responsável norueguês de RichMeetBeautiful, Sigurd Vedal, outros dez caminhões desse tipo seriam lançados em toda a Bélgica nas próximas semanas "principalmente perto das universidades".

O governo regional da Valônia-Bruxelas, que inclui a capital belga, disse que faria uma queixa legal pela "incitação à devassidão e prostituição" contra o site.

O prefeito de Bruxelas, Philippe Close, disse que pediria à polícia que banisse os caminhões. A ULB também apresentou uma denúncia.

Exploração da angústia

A União dos Estudantes da comunidade francesa em Bruxelas disse que era uma "campanha completamente imoral".

“Nós sabemos que o fenômeno da prostituição estudantil está ganhando terreno, e aqui você tem um negócio que explora a angústia dessas jovens para fins lucrativos", disse a presidente do grupo, Opaline Meunier.

"Mais e mais estudantes estão em dificuldades sociais ou econômicas na Europa.”, observou.

"Se isso não é incitamento à prostituição, é pelo menos comparável ao uso dos serviços de uma menina de escolta. Os estudantes que estão lutando para pagar seus cursos precisam de uma bolsa de estudos, e não de um ‘pai de açúcar’ ", completou.

O responsável pelo site, Vedal, afirmou que as críticas que comparam o site à prostituição eram injustas. "É um mal-entendido clássico", disse Vedal, acrescentando que uma campanha de televisão, rádio e internet também estava em andamento.

"Nós somos um site de namoro normal, mas a condição financeira é parte da lista de verificação. Temos termos de acordo muito claros, as ‘meninas de açúcar’ devem ter mais 18 anos e a prostituição não é permitida".

Das 150 mil mulheres jovens que se inscreveram nos países escandinavos e na Bélgica, Holanda e Luxemburgo, cerca de 21 mil são belgas, de acordo com o site, que diz que a Bélgica é uma das prioridades comerciais.

(Com informações da AFP)

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.