Acessar o conteúdo principal
Poluição

Paris e Bruxelas vivem dia sem carro para combater a poluição

Pedestre nas ruas de Bruxelas, que, assim como Paris, participou do "Dia sem carro" em 16 de setembro de 2018.
Pedestre nas ruas de Bruxelas, que, assim como Paris, participou do "Dia sem carro" em 16 de setembro de 2018. REUTERS/Eric Vidal

As ruas de Paris foram fechadas neste domingo (16) para a circulação de carros e duas rodas motorizadas, e feitas inteiramente pedestres na ocasião do quarto "Dia sem carro".  

Publicidade

Ao meio-dia, a Champs Élysées, a mais famosa avenida do mundo, foi invadida pelos parisienses a pé, de bicicleta ou de scooter.   

"Esta é uma grande oportunidade para descobrir a cidade de outro ângulo, com uma abordagem amigável e depois ambiental", disse Etienne Garderet.

De sua parte, Rex Embrey, turista norte-americano, também não ficou indiferente ao sair de seu hotel:  "Eles nos disseram que a rua estava fechada, o que torna a coisa muito mais agradável".   

A proibição de dirigir - das 11:00 às 18:00 - não se aplica a todos os carros: estão isentos da proibição veículos de emergência, carros para pessoas com deficiência, ônibus turísticos, caminhões de mudança, desde que munidos de uma autorização, e ônibus.    

Este último, assim como os táxis, circulam como um domingo comum, mas estarão limitados a 30 km/h ou 20 km/h nos primeiros quatro distritos de Paris. Por outro lado, o anel viário parisiense não é afetado pela medida.

Contra a poluição

O objetivo deste "Dia sem Carros" é "tornar o espaço público menos poluído, mais agradável e mais pacífico", diz o site da cidade de Paris.

"É uma boa ideia que precisa ser multiplicada", defendeu Jean-Marie, 68, vindo de Meurthe-et-Moselle, noroeste da França. “A poluição é tal na capital que, chegando aqui, sentimos o cheiro dos canos de escapamento", reclama ele.

De acordo com sua filha, Caroline, que se apresenta como parisiense adotada, "o carro nas ruas da capital estraga todos os prazeres. O barulho, a poluição, as buzinas… é  insuportável".

"Nós vemos milhares de carros com apenas uma pessoa a bordo, é absolutamente ridículo", disse Caroline, que é a favor de uma "proibição total de carros para os parisienses, que podem usar o transporte em grande parte".  

Dia europeu

Em luta por vários anos sobre estas questões, a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, anunciou na sexta-feira (14) que os quatro primeiros distritos, que fazem parte do centro de Paris (Ile de la Cité e Saint-Louis, Châtelet, Louvre, Opera, Marais) seriam fechado ao tráfego motorizado em um domingo por mês a partir de 7 de outubro, exceto nas principais avenidas que os cruzam.

De acordo com a prefeitura de Paris, o tráfego de veículos na capital, dentro do espaço do anel viário da cidade, registrou uma queda "recorde" de 6% entre 2017 e 2018. A poluição do ar foi reduzida "em proporções comparáveis".

"Diante da emergência climática e do impacto da poluição na saúde dos moradores", Anne Hidalgo e Philippe Close, os prefeitos de Paris e Bruxelas, que também participou do evento, propuseram que seja estabelecido anualmente um "Dia sem carro" europeu.

(Com informações da AFP)

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.