Acessar o conteúdo principal

Campanha legislativa na Espanha termina com feminismo no centro do debate

Chega ao fim campanha para as eleições legislativas na Espanha.
Chega ao fim campanha para as eleições legislativas na Espanha. REUTERS/Marcelo del Pozo/File Photo

Esta sexta-feira (26) foi o último dia da campanha para as eleições legislativas que acontecem no próximo domingo (28), na Espanha. O papel das mulheres na sociedade e as pautas ligadas aos direitos femininos tomaram o centro do debate com o crescimento de uma onda feminista amplamente contestada pelo partido de extrema direta Vox.

Publicidade

Depois de grandes manifestações no dia 8 de março, tanto em 2018 quanto em 2019, as mulheres serão decisivas no resultados das próximas eleições. Elas representam 40% a mais que os homens entre os indecisos, de acordo com dados do instituto de pesquisa Metroscopia. Segundo o levantamento, 80% da população apoiou as mobilizações feministas de março dos últimos anos.

A mobilização feminina tem atingido até as pequenas cidades do país, como Loureiro, que tem apens 60 habitantes. Ela realizou neste ano sua primeira manifestação de 8 de março. Emilia Pato, de 60 anos, conta que tinha dúvidas quanto à adesão ao protesto, mas quase a metade da cidade participou. A palavra de ordem nesta pequena localidade espanhola foi "As mulheres da zona rural também podem ir ao bar". Segundo moradoras, o local nunca foi proibido, mas é majoritariamente frequentado por homens.

Essas mudanças afetam também a política. O primeiro-ministro Pedro Sánchez nomeou mulheres para 11 dos 17 ministérios do seu governo. Para o cientista político Silvia Claveria, até o Partido Popular, de direita, aderiu de alguma forma a este discurso. 

Extrema direita na contra-mão

O crescimento da extrema direta, no entanto, ameaça esse consenso em torno da pauta. O partido Vox, que tem um forte discurso anti-feminista, deve ocupar pela primeira vez cadeiras do parlamento espanhol.

Segundo Francisco Camas, do instituto de pesquisa Metroscopia, 75% dos eleitores deste partido são homens. A agremiação é a quinta em intenção de votos segundo as sondagens - em torno de 10% -, mas sobe para o segundo lugar entre o eleitorado masculino. O discurso do Vox também é considerado anti-imigração e ultranacionalista.

O primeiro ministro Pedro Sánchez fez apelos nesta sexta-feira para que o país impeça o avanço da ultradireita. Ele teme que o resultado do Vox nas urnas seja muito maior do que o anunciado pelas pesquisas, como aconteceu recentemente com o partido de extrema direita da Finlândia, chamado Verdadeiros Finlandeses.

Por outro lado, o voto feminino é disputado pelos socialistas do PSOE, partido de Pedro Sánchez, e pelo Ciudadanos, agremiação de centro-direita, que defende um "feminismo liberal".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.