Acessar o conteúdo principal

Cantor holandês Duncan Laurence vence Eurovisão 2019

Duncan Laurence celebra a vitória no Eurovisão 2019, em Tel Aviv, 18 de maio de 2019.
Duncan Laurence celebra a vitória no Eurovisão 2019, em Tel Aviv, 18 de maio de 2019. REUTERS/Ronen Zvulun

O cantor holandês Duncan Laurence é o grande vencedor da 64a edição do festival Eurovisão, realizado na noite de sábado (18) em Tel Aviv. A canção "Arcade", sobre a perda de um familiar, levou a Holanda à primeira vitória na competição em 44 anos. 

Publicidade

Aos 25 anos, Duncan Laurence era pouco conhecido na Holanda antes de ser selecionado para representar o país na competição. Sua sóbria apresentação contrasta com a excentricidade que caracteriza as performances do Eurovisão.

Mas a voz aveludada, acompanhada por um piano, foram suficientes para conquistar júri e o público, já que os resultados finais combinam o voto dos jurados dos países participantes com os dos telespectadores. Cerca de 200 milhões de pessoas acompanharam o evento pela televisão.

"Meu sonho se realizou!", afirmou à imprensa o cantor cujo verdadeiro nome é Duncan de Moor. A vitória foi celebrada em toda a Holanda. No Twitter, o primeiro-ministro holandês comemorou a façanha elogiando "uma performance sublime e poderosa".

Com 492 pontos, o holandês bateu o italiano Mahmood (465 pontos) e o russo Sergey Lazarev (369 pontos). A França chegou na 14a posição, conquistando 105 pontos com a canção "Roi", sobre tolerância, interpretada pelo jovem cantor Bilal Hassani, de 19 anos.

Madonna causa polêmica

A performance da convidada de honra, Madonna, contou com dois dançarinos exibindo as bandeiras israelense e palestina, o que causou polêmica em um evento célebre por ser apolítico. A rainha do pop interpretou seu novo single, "Future", junto com a estrela do hip hop americano Quavo.

A diva de 60 anos pediu aos fãs que "nunca subestimem o poder da música para unir pessoas". A mídia israelense avaliou que a exibição das duas bandeiras durante a apresentação de Madonna foi uma mensagem de fraternidade.

Essa não foi a única manifestação política do Eurovisão 2019. Os integrantes do grupo Hatari, representantes da Islândia, mostraram lenços com bandeiras palestinas durante o anúncio dos resultados.

Os organizadores do Eurovisão - um concurso de música que acontece desde os anos 1950 - destacam que o festival é um evento apolítico. Israel foi escolhido automaticamente como país anfitrião da edição 2019 do evento, depois da vitória, no ano passado, de sua representante, a cantora Netta Barzilai.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.