Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Favorito, Johnson enfrenta Hunt em 1° debate na TV entre candidatos a premiê no Reino Unido

Áudio 04:19
Acontece nesta terça-feira (9) o primeiro debate entre Boris Johnson e Jeremy Hunt pela disputa do Partido Conservador e consequentemente do cargo de primeiro-ministro.
Acontece nesta terça-feira (9) o primeiro debate entre Boris Johnson e Jeremy Hunt pela disputa do Partido Conservador e consequentemente do cargo de primeiro-ministro. REUTERS/Rebecca Naden

Os dois candidatos ao cargo de primeiro-ministro do Reino Unido se enfrentam pela primeira vez em um debate na noite desta terça-feira (9). O ex-prefeito de Londres, Boris Johnson, é o favorito nas pesquisas e até agora vinha evitando participar de qualquer tipo de debate e sabatina coletiva, tendo comparecido a apenas um evento ao lado de seus primeiros rivais, em junho. Já o candidato Jeremy Hunt, atual ministro das Relações Exteriores, quer usar a oportunidade na TV para tentar convencer os eleitores do Partido Conservador de que ele é o homem mais estável e experiente para conduzir o país rumo ao Brexit.

Publicidade

Maria Luisa Cavalcanti, correspondente da RFI em Londres

A saída do Reino Unido da União Europeia é, naturalmente, o tema que tem dominado esta corrida eleitoral e que deve ser o foco das discussões neste debate. Foi por causa do Brexit que David Cameron renunciou em 2016, logo após o referendo no qual os britânicos escolheram sair do bloco. E foi também o fracasso em conseguir o apoio parlamentar para um acordo com os europeus que levou Theresa May a renunciar em junho.

No debate desta terça-feira, tanto Boris Johnson quanto Jeremy Hunt devem reiterar a posição deles de que o Reino Unido vai deixar a União Europeia na data prevista, 31 de outubro, sem mais adiamentos. Os dois candidatos disseram que preferem sair do bloco tendo nas mãos um novo acordo que favoreça a posição dos britânicos em relação a questões como acesso ao mercado comum e à união aduaneira, e a fronteira com a Irlanda. Mas Johnson, um dos arquitetos da campanha a favor do Brexit, tem sido mais incisivo e afirma que, sob o comando dele, o divórcio vai se materializar com ou sem acordo.

Hunt, atual chanceler do país e um defensor da permanência na União Europeia no referendo de 2016, anunciou que prefere voltar à mesa de negociações e tentar um novo acordo. Ele prometeu que se não conseguir isso até 30 de setembro, aí sim vai preparar o Reino Unido para deixar a UE sem um acordo.

Favorito, mas 'pouco confiável'

Apenas os eleitores filiados ao Partido Conservador têm o direito de votar nestas eleições, pois o que se decide agora é o posto de líder da sigla. Como o partido domina o Parlamento, seu líder será automaticamente nomeado primeiro-ministro. Isso significa que o Reino Unido será comandado pelo homem eleito por cerca de 180 mil pessoas.

Uma pesquisa realizada há uma semana dentre os eleitores conservadores mostra que Johnson tem 67,4% dos votos, enquanto Hunt tem 29,1%. O ex-prefeito de Londres também é o favorito nas casas de apostas.

Por causa desse favoritismo, ele evitou participar de outros debates e sabatinas até agora. Analistas acreditam que isso é uma estratégia de Johnson para ficar longe de qualquer polêmica, já que ele é visto como uma figura controversa, que faz declarações impulsivas e, por vezes, ofensivas.

De fato, outras sondagens feitas com amostras de toda a população, ou seja, incluindo eleitores de outros partidos, indicam que Johnson é tido como o candidato menos confiável e também como alguém que não será capaz de ser um bom primeiro-ministro.

É nisto que Jeremy Hunt deve apostar no debate desta terça-feira. Ele quer se mostrar como um político mais previsível, mais sério e moderado, menos polêmico, além de ter mais experiência administrativa no governo.

Programa econômico e política de imigração

Os dois candidatos têm políticas parecidas no que diz respeito a outros aspectos do governo. Em termos de imigração, tanto Johnson como Hunt querem desenvolver um sistema que privilegie a entrada no país de trabalhadores capacitados.

Já na economia, ambos têm falado em reduzir impostos para empresas e em aumentar o salário mínimo. Os dois também prometeram incrementar os gastos com defesa, polícia, educação e bem-estar social. Mas essas declarações e promessas estão sendo recebidas com certo ceticismo por especialistas do mercado financeiro, e inclusive por parte do atual ministro das Finanças, Philip Hammond.

Johnson e Hunt participarão de outro programa de TV nesta sexta-feira (12), mas em um formato diferente de um debate e mais parecido com uma entrevista ao vivo, sem uma discussão cara a cara.

A votação entre os membros do Partido Conservador continua até o próximo dia 21, e o novo primeiro-ministro deve ser anunciado no dia 23 de julho.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.