Acessar o conteúdo principal
Alemanha/Atentado

Autor de ataque contra sinagoga na Alemanha postou vídeo ao vivo na internet

Polícia cercou bairro do local do atentado na cidade alemã de Halle, nesta quarta-feira 9 de outubro de 2019.
Polícia cercou bairro do local do atentado na cidade alemã de Halle, nesta quarta-feira 9 de outubro de 2019. Fuente: Reuters.

O autor do atentado em Halle, Alemanha, publicou um vídeo do ataque na plataforma de streaming ao vivo Twitch, informou uma porta-voz do site especializado em e-sports e videogames. O ataque teria sido cometido por vários homens armados e um dos suspeitos, foi detido. Duas pessoas morreram no atentado em frente à sinagoga nesta quarta-feira (9).

Publicidade

O suspeito detido estaria ferido, segundo fontes policiais. As imagens do ataque postadas foram retiradas “o mais rápido possível” disse a porta-voz do Twitch. O site garantiu que “todas as contas que publicaram ou republicaram o vídeo deste ato abominável" foram suspensas, sem especificar, no entanto, quanto tempo este material esteve disponível on-line.

A postagem do agressor lembra a estratégia do supremacista branco que em março deste ano conseguiu transmitir ao vivo pelo Facebook seu ataque contra uma mesquita em Christchurch, na Nova Zelândia, no qual matou 51 muçulmanos. Ele também mostra a dificuldade em impedir a difusão de imagens como estas na internet.

Depois do atentado de Chrischurch, vários governos exerceram pressão sobre as redes sociais para que impeçam a transmissão de atos violentos em suas plataformas. Plataforma Twitch é usada sobretudo por jogadores de videogame para demonstrar suas habilidades. Ela foi comprada em 2014 pela Amazon, que pagou US$ 970 milhões na transação.

Ataque no dia de festa judaica

Ruas desertas, transporte público suspenso, a população em estado de choque: a cidade de Halle, no leste da Alemanha, ficou abalada após uma tentativa de invasão da sinagoga, seguida de um tiroteio em frente ao local que deixou, além dos dois mortos, pelo menos dois feridos graves. Um restaurante turco que fica ao lado do prédio também foi atingido pelos disparos do homem que estava fortemente armado.

O atentado aconteceu em pleno Yom Kipur, o dia do perdão, uma das festas religiosas judaicas mais importantes. A porta da sinagoga resistiu à invasão e um drama muito maior foi evitado. Entre 70 e 80 fiéis estavam dentro do templo religioso quando o ataque ocorreu.

Policiais fortemente equipados foram mobilizados na cidade da antiga RDA e que conta com cerca de 240.000 habitantes, enquanto a população foi orientada a ficar em casa e fechar portas e janelas. O alerta foi cancelado após a detenção do suspeito, permitindo que a população voltasse às ruas da cidade.

A chanceler alemã Angela Merkel denunciou o atentado e expressou sua "solidariedade para com todos os judeus pelo feriado de Yom Kipur", disse o porta-voz Steffen Seibert no Twitter.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.