Acessar o conteúdo principal
Brasil-Mundo

João Kopke: o luso-brasileiro que mostra o melhor de Portugal através do surfe

Áudio 04:10
João Kopke já foi campeão nacional em todas as categorias juniores (Sub-14, Sub-16 e Sub-18) e foi vice-campeão europeu.
João Kopke já foi campeão nacional em todas as categorias juniores (Sub-14, Sub-16 e Sub-18) e foi vice-campeão europeu. White Flag Productions

João Kopke é um surfista que gosta de contar histórias. Estudante de Ciências Políticas e Relações Internacionais, músico, cantor lírico e surfista profissional, João está sempre em busca de novas aventuras e descobertas. Unir um pouco dessas paixões foi o que o impulsionou a criar a série documental “Riding Portugal”, uma procura pela ondas que pretende mostrar o que está escondido no caminho para tubos e aéreos.

Publicidade

Por Luciana Quaresma, correspondente da RFI em Lisboa

“Eu sempre fui uma pessoa muito curiosa. Nunca gostei de fazer só uma coisa na minha vida e o surfe, por ser algo de que gosto muito, sempre ocupou um lugar predominante, mas eu nunca deixei a escola, nem a música de lado, e achava que queria ser surfista profissional, só surfista competidor, até que chegou um momento isso começou a me limitar e eu não estava tão feliz assim e comecei a pensar numa forma de agregar vários interesses diferentes, como, por exemplo, História, minha matéria preferida na escola. E contar histórias através do surfe foi uma forma de agregar interesses diferentes, até porque o surf pra mim é uma maneira de viver histórias, sempre foi”, explica o surfista de 24 anos.

“Alguém que faça um roteiro de surfe em Portugal, dos spots mais badalados aos mais secretos, vai encontrar gastronomia, história… Tem tanto uma parte mais histórica, que conta a História riquíssima que Portugal tem, mas também fala de modernidade, de coisas mais recentes, fala das pessoas do agora. É tão contemporâneo quanto histórico, quanto artístico e cultural. Acho que é um programa bastante transversal, mas que tenta dar esta transversalidade que às vezes pode assumir um carácter mais velho através de um veículo muito jovem que é o surfe”.

Brasil, a outra casa

Filho de pais brasileiros, desde que nasceu João vai todos os anos ao Brasil e considera o país a sua outra casa. “Os meus pais são os dois brasileiros, eu já nasci em Portugal, mas desde sempre, desde que tinha menos de um ano de idade eu vou ao Brasil por isso eu sinto que, por um lado, eu tenho duas identidades e por outro, não tenho nenhuma. No que toca a nacionalidade, por um lado tem a coisa de ser português que eu estranho muito e que eu nunca me sinto totalmente identificado com a cultura do país onde eu nasci, mas, por outro lado, no Brasil, eu sou um português, sempre!".  

O Brasil, claro, é o próximo destino que o surfista gostaria de explorar e mostrar no seu programa. “Eu queria conhecer o Brasil da forma como eu conheço Portugal e da forma como o programa 'Riding Portugal' me levou a conhecer Portugal é a mesma forma através da qual eu gostaria de conhecer o meu outro país, o Brasil. O Pantanal seria o meu primeiro destino de eleição. Tenho certeza que seria uma experiência incrível!”, afirma o surfista.

João já foi campeão nacional em todas as categorias juniores (Sub-14, Sub-16 e Sub-18) e foi vice-campeão europeu. O primeiro título veio no segundo ano de competição. Mas a música sempre esteve presente na vida do surfista.
“Minha mãe é professora no Conservatório de Música, em Lisboa. A música faz parte da minha vida desde sempre. E ainda irei encontrar uma forma de unir essas duas paixões: o surfe e a música. Quero contar essas histórias. As dos caminhos por onde a prancha de surfe e a arte me levam. Uma onda, uma fotografia, um poema ou uma música são o meu papel e caneta de todos os dias”.
 

{{ scope.counterText }}
{{ scope.legend }}© {{ scope.credits }}
{{ scope.counterText }}

{{ scope.legend }}

© {{ scope.credits }}
Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.