Acessar o conteúdo principal

Polícia britânica prende dois suspeitos no caso de 39 chineses mortos em caminhão

Policiais acompanham o caminhão onde foram encontrado 39 cadáveres. 23/10/19
Policiais acompanham o caminhão onde foram encontrado 39 cadáveres. 23/10/19 Ben STANSALL / AFP

A polícia britânica anunciou nesta sexta-feira (25) duas novas prisões após a descoberta, perto de Londres, de corpos de 39 chineses em um caminhão. A imprensa local revela mais detalhes sobre as investigações.

Publicidade

Um homem e uma mulher de 38 anos, moradores da cidade de Warrington, no norte da Inglaterra, foram presos e são suspeitos de tráfico de seres humanos e de 39 homicídios, informou a polícia. O motorista, um norte-irlandês de 25 anos, foi detido na quarta-feira (23) e permanece sob custódia por assassinato, acrescentou o comunicado.

Os 39 corpos foram descobertos na madrugada de quarta-feira na zona industrial de Grays, Essex, a cerca de 30 quilômetros a leste de Londres. O contêiner-frigorífico, onde os corpos foram encontrados, realizou uma viagem de cerca de nove horas do porto belga de Zeebrugge a Purfleet, no Reino Unido.

Segundo autoridades, o veículo foi emplacado na Bulgária em 2017, mas desde então, não retornou ao país. Não se sabe, até o momento, se os chineses embarcaram no caminhão na Bélgica ou em outro país da Europa.

A empresa Global Trailer Rentals (GTR), baseada em Dublin, confirmou ser a proprietária do contêiner-frigorífico. Ela indicou ter alugado o compartimento a um cliente no último 15 de outubro por € 275 semanais.

Atividades suspeitas no porto de Purfleet

De acordo com o jornal britânico The Times, os moradores dos arredores do porto de Purfleet alertaram as autoridades diversas vezes sobre "atividades suspeitas" na região. Alguns deles afirmam terem visto pilhas de passaportes ou grupos de pessoas em caminhões ou vans. Um motorista de táxi também indicou ter visto, em meados de 2017, pessoas saindo de caminhões em estradas da zona portuária no sudeste da Inglaterra.

As autoridades britânicas afirmam que a quantidade de imigrantes que entram clandestinamente no Reino Unido a bordo de contêineres ou caminhões aumentou nos últimos anos. Segundo a Agência Nacional Contra o Crime (NCA), "os métodos são cada vez mais arriscados", nos portos de Calais, na França, de Zeebruges, na Bélgica, bem como pelo Eurotúnel, que atravessa o Canal da Mancha.

Autópsia dos corpos

Os corpos das vítimas começaram a ser transferidos para um hospital. O início da autópsia está programado para esta sexta-feira. No entanto, a polícia alertou que "a identificação formal será longa e crucial para a investigação".

Nenhum detalhe foi divulgado sobre a identidade das vítimas. Segundo as autoridades, são 31 homens e 8 mulheres, entre eles, um adolescente. Pequim confirmou que todas as pessoas têm nacionalidade chinesa.

Essas mortes provocaram horror e indignação no Reino Unido, além de vários apelos para fortalecer a luta contra os canais de imigração ilegal, com métodos cada vez mais arriscados diante do reforço dos controles. Para a imprensa britânica, essa é a pior tragédia das últimas décadas envolvendo pessoas clandestinas.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.