Acessar o conteúdo principal

COP 25 será realizada em dezembro na Espanha

Um dos objetivos da COP25 é convencer os Estados a aumentarem seus compromissos para reduzir o aquecimento global.
Um dos objetivos da COP25 é convencer os Estados a aumentarem seus compromissos para reduzir o aquecimento global. RFI / Estudio gráfico

Acabou o suspense. A conferência internacional sobre clima, a COP 25, será realizada na Espanha, no início de dezembro, anunciou a ONU nesta sexta-feira (1). Mas o desafio logístico pode ser difícil para os 25.000 delegados originalmente esperados no Chile, país que desistiu de sediar o evento por causa de uma crise social.

Publicidade

"Temos o prazer de anunciar que a COP 25 acontecerá de 2 a 13 de dezembro em Madri, na Espanha", disse Patricia Espinosa, oficial para o clima da ONU. A agente apoiou a iniciativa espanhola, que considerou como "encorajadora de ver países trabalhando juntos (...) para enfrentar as mudanças climáticas, que são o maior desafio das gerações presentes e futuras ".

A diplomacia da ONU fora surpreendia na quarta-feira (30) com o repentino anúncio do presidente chileno, Sebastian Piñera, sobre o cancelamento da conferência sobre as mudanças climáticas, em razão da agitação social que não diminui no país sul-americano. O Chile também abriu mão de ser o palco de outro grande evento internacional, a cúpula do Fórum de Cooperação Ásia-Pacífico (APEC). O anúncio de Piñera, cujo governo enfrenta distúrbios que causaram 20 mortes em quase três semanas, foi um golpe na imagem externa do Chile.

Paralelamente, o presidente chileno anunciou a oferta do governo espanhol, do socialista Pedro Sánchez, de sediar a COP, reunião que envolve o deslocamento de missões oficiais, ONGs e especialistas em meio ambiente do mundo inteiro.

Espanha já está trabalhando

Madri informou que fez a proposta "dado o pouco tempo disponível e a importância de garantir que a COP 25 seja mantida normalmente", mesmo que o país deva realizar novas eleições legislativas em 10 de novembro.

No entanto, de acordo com as pesquisas, nenhum partido parece estar caminhando para uma maioria absoluta e, portanto, é provável que a Espanha esteja no meio de negociações para a formação de um governo na época da COP.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez, saudou em um tuíte "as excelentes notícias" da confirmação da ONU, dizendo: "A Espanha já está trabalhando para garantir o bom funcionamento da COP 25".

Objetivo é manter o Acordo de Paris

O desafio não é pequeno. Em apenas quatro semanas os espanhóis terão que reorganizar os planos para receber mais de 20 mil pessoas inicialmente esperadas em Santiago. Mas a causa é das mais importantes para o planeta: convencer os Estados a aumentarem seus compromissos, em 2020, para manter os objetivos do Acordo de Paris sobre um aquecimento global "bem abaixo de dois graus" comparado à era pré-industrial e, se possível, em 1,5 grau.

Além dos diplomatas, as "Conferências das Partes", nome oficial das COPs, reúnem milhares de participantes da sociedade civil, ONGs e sindicatos que comparecem para estimular os negociadores oficiais.

Viagem de volta

Uma das presenças mais esperadas na Espanha é da ativista sueca, Greta Thunberg, que vem mobilizando a juventude mundial. No início de setembro, ela se recusou a voar e cruzou o Atlântico de barco para participar de uma cúpula da ONU, em Nova York. O cancelamento da COP 25 em Santiago pegou a adolescente de surpresa, quando já estava a caminho da América do Sul.

"Vou precisar de ajuda", disse Greta pelo Twitter. "Cruzei a metade do mundo e agora tenho que encontrar uma maneira de atravessar o Atlântico, em novembro. Se alguém puder me ajudar a chegar lá, eu ficaria grata," apelou.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.