Acessar o conteúdo principal
Turquia/Terrorismo

Turquia cumpre ameaça e começa a deportar jihadistas do grupo Estado Islâmico

Situação dos jihadistas e seus familiares detidos na Síria, como no acampamento de Roj (foto), é a mais complicada.
Situação dos jihadistas e seus familiares detidos na Síria, como no acampamento de Roj (foto), é a mais complicada. GIHAD DARWISH/AFP

O governo turco deportou nesta segunda-feira (11) um membro norte-americano do grupo Estado Islâmico. Ancara, que vinha ameaçando expulsar os extremistas ocidentais presos em seu território, pretende deportar detidos alemães e franceses nos próximos dias, apesar da resistência dos países europeus.

Publicidade

Com informações de Anne Andlauer, correspondente da RFI em Istambul

A deportação de um jihadista norte-americano foi confirmada pelo porta-voz do ministério turco do Interior, Ismail Catakli. Ele não disse, no entanto, para que país o extremista foi enviado.

"Outros sete terroristas estrangeiros, de origem alemã, serão deportados na quinta-feira (14)", acrescentou o porta-voz, em declarações publicadas pela agência de imprensa pública Anadolu. "Também estão em curso os trâmites para a expulsão de onze combatentes de origem francesa", informou ainda.

O início do processo de expulsão de jihadistas estrangeiros já havia sido anunciado na semana passada pelo ministro turco do Interior, Süleyman Soylu.

Ancara pede frequentemente aos países europeus que se encarreguem de seus cidadãos que aderiram ao grupo Estado Islâmico e que estão presos em seu território ou na Síria. No entanto, o governo turco enfrenta resistência, principalmente dos vizinhos da União Europeia, que se recusam a acolher os detidos alegando razões de segurança. Alguns países, como Holanda e Reino Unido, chegaram a anunciar que iriam retirar a nacionalidade de vários de seus cidadãos para impedir que Ancara os expulsasse.

"Não os manteremos no país até o fim dos tempos ... Vamos mantê-los sob custódia por um tempo. Depois, os enviaremos de volta para seus países", alertou Soylu, há alguns dias. "Não somos um hotel dos membros do grupo Estado Islâmico”, insistiu.

Berlim confirmou que um alemão seria deportado da Turquia ainda nesta segunda-feira e que outras nove pessoas desembarcariam em solo alemão até o final desta semana. O grupo é composto por três homens, cinco mulheres e duas crianças.

Paris já recebe jihadistas expulsos pela Turquia

A diplomacia da França informou que já vem recebendo jihadistas e seus familiares expulsos da Turquia e que esses franceses são detidos ao descerem do avião. No entanto, Paris afirma que essas operações são realizadas de maneira discreta. Essas expulsões fazem parte de um acordo negociado em 2014 entre Paris e Ancara.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse na semana passada que mais de 1.150 membros do EI estão atualmente nas prisões turcas. Além disso, as tropas de Ancara teriam capturado outros 287 jihadistas que escaparam dos centros de detenção turcos, aproveitando o caos causado pela ofensiva militar turca no norte da Síria em outubro.

Jihadistas detidos na Síria

Ancara informou que ocidentais presos na Síria também serão deportados em breve. O ministério turco do Interior cita o caso de dois irlandeses, dois alemães e onze franceses, cujos processos estariam sendo analisados. 

Esses processos seriam os mais complicados, pois os países europeus se recusam a acolher seus cidadãos que integraram o grupo Estado Islâmico na Síria.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.