Acessar o conteúdo principal
Itália/Máfia

Polícia italiana desmantela quadrilha mafiosa na Sicília

Vista de Palermo, capital da Sicília.
Vista de Palermo, capital da Sicília. REUTERS/Tony Gentile

Uma grande operação anti-máfia desmantelou na Sicília uma quadrilha que fraudou milhões de euros de recursos da União Europeia (UE) destinados à agricultura, informou a polícia italiana nesta quarta-feira (15). Ao todo, 94 pessoas foram detidas nesta manhã, indicou o procurador de Messina em comunicado.

Publicidade

Entre os detidos, estão os chefes de duas famílias mafiosas, um dono de cartório, empresários e funcionários públicos encarregados de ajudar os agricultores a ter acesso aos fundos europeus.

Desde 2013, a máfia Tortorici, que leva o nome de uma cidade situada em uma zona montanhosa no nordeste da ilha italiana, desviou cerca de € 10 milhões (R$ 44 milhões) da União Europeia, segundo a Rai24. Para ter direito à ajuda europeia, a família declarou possuir terras que, na verdade, pertencem às prefeituras e regiões sicilianas.

Os mafiosos contaram com a cumplicidade de funcionários da agência pública de subsídios agrícolas, encarregada de distribuir os recursos da UE para o setor, e também dos agentes dos centros de assistência que ajudam os agricultores a protocolar o pedido de verba.

Entre os detidos, 48 foram presos. Os outros 46 ficarão em prisão domiciliar, indicou a polícia.

Comissão Europeia

A Comissão Europeia acompanha o desenvolvimento da investigação, informou hoje o porta-voz da instituição, Daniel Rosario. Segundo ele, Bruxelas tem uma política de “tolerância zero” em relação a fraudes e desvio de verbas. Rosario indicou, no entanto, que “cabe inicialmente aos países membros tomar as medidas necessárias para administrar a distribuição dos subsídios europeus e reagir adequadamente em caso de suspeitas de fraude”.

A ministra italiana do Interior, Luciana Lamorgese, ficou “muito satisfeita” com essa operação anti-máfia. Ela informou que mais de 150 empresas, ligadas as duas famílias, foram confiscadas pela justiça. Segundo a ministra, esse grande número “confirma a exigência de uma grande vigilância sobre a concessão de fundos públicos para evitar que grupos mafiosos se apropriem de subsídios europeus em detrimento de agricultores honestos”.

Com o caso, o procurador Federico Cafiero de Raho, notou um salto qualitativo na máfia italiana “que entrou na economia legal via um sistema ilegal”. “Os mafiosos agem agora não somente na criminalidade tradicional, como o tráfico de drogas e extorsões, mas também fraudando as instituições europeias”, avalia o procurador anti-máfia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.