Acessar o conteúdo principal
Coronavírus/Europa

Itália registra duas primeiras mortes de europeus por coronavírus

Casal utiliza máscara no metrô de Milão, no norte da Itália, em 21 de fevereiro de 2020.
Casal utiliza máscara no metrô de Milão, no norte da Itália, em 21 de fevereiro de 2020. ANDREAS SOLARO / AFP

O coronavírus Covid-19 faz suas primeiras vítimas europeias. Após a morte de um idoso na região do Vêneto na sexta-feira (21), uma italiana faleceu na manhã deste sábado (22) na Lombardia. A rápida propagação da doença pelo norte do país coloca as autoridades em estado de alerta.

Publicidade

A segunda vítima europeia do coronavírus, uma mulher, estava hospitalizada há cerca de dez dias perto de Milão, no norte da Itália. O italiano que faleceu na véspera se chamava Adriano Trevisan e tinha 78 anos.

É forte a tensão na Itália com a rápida propagação da doença. O país é o que conta com o maior número de infectados pelo coronavírus na Europa: as autoridades contabilizam cerca de 30 contaminados.

Entrevistado pelo canal de TV Rainews24, o presidente do Vêneto, Luca Zaia, se diz perplexo. Segundo ele, as três pessoas contaminadas nesta região não tiveram nenhum contato com chineses ou outras pessoas que retornaram recentemente da China. "Estamos testando todos os que tiveram contato com os infectados", afirmou.

Medidas drásticas

O governo italiano adota medidas drásticas para tentar conter a doença. Em onze cidades do norte, eventos esportivos foram cancelados. Espaços públicos como bares, restaurantes, escolas igrejas e estádios foram fechados. As autoridades pedem que as pessoas permaneçam em suas casas.

A decisão de colocar essas localidades em confinamento parcial ocorre após a detecção de um primeiro epicentro do coronavírus na Itália. Na pequena cidade de Codogno, na Lombardia, onde vivem 15 mil pessoas, 14 moradores foram contaminados e um homem de 38 anos está hospitalizado desde quarta-feira (19) em estado grave.

Até o momento, a pessoa na origem das contaminações na região não foi identificada. As autoridades suspeitam de um italiano que voltou recentemente da China e teve contato com o paciente de Codogno internado em estado grave.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, tentou acalmar os ânimos do país na sexta-feira. Segundo ele, as medidas estão sendo aplicadas até o momento "por precaução".

Casos se multiplicam na Coreia do Sul

No resto do mundo, mais duas mortes foram registradas no Irã, além do primeiro contágio em Israel e no Líbano. Na Coreia do Sul, uma segunda pessoa morreu e os casos do coronavírus se multiplicam rapidamente. Com mais 142 infectados anunciados neste sábado, Seul contabiliza 346 contaminados.

Na China, o número de vítimas começa a baixar: o governo anunciou a morte de 109 pessoas neste sábado, contra 118 na véspera. No total, o coronavírus já deixou 2.345 mortos no país.

A França conta atualmente com uma única pessoa hospitalizada por coronavírus. O país teve a primeira morte pela doença fora da Ásia; um turista chinês faleceu em 15 de fevereiro após um mês internado em Paris.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.