Acessar o conteúdo principal
Violência contra a Mulher/ Brasil

Brasileiro está entre os procurados pela Interpol por violência contra a mulher

Oito fugitivos procurados pela Interpol por crimes contra mulheres. Um deles é o brasileiro Thiago Henrique Moreira. 25/11/2019.
Oito fugitivos procurados pela Interpol por crimes contra mulheres. Um deles é o brasileiro Thiago Henrique Moreira. 25/11/2019. Interpol

A Organização Internacional de Polícia Criminal Interpol lançou, nesta segunda-feira (25), um apelo mundial a testemunhas para capturar oito fugitivos procurados por crimes contra mulheres, na ocasião do Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres.

Publicidade

Os oito suspseitos são alvo de um "alerta vermelho" – um aviso de busca internacional – no Brasil, Rússia, Dinamarca, Noruega, Ucrânia, Chipre e Estados Unidos, disse a Interpol em comunicado. Seus nomes e fotos são difundidos, para facilitar o reconhecimento.

Três deles são acusados de assassinar suas esposas ou ex-esposas.

Veja a lista completa dos acusados:

1. Valeriy ANDREEV, 62, procurado pela Rússia por assassinar uma mulher.

2. Mohammad Ayoub JAHANGERY, 28, procurado pela Dinamarca por assassinar sua esposa.

3. Azad Sattar Ahmad JUBURI, 36, procurado pela Noruega por violência sexual contra uma mulher.

4. LEVIN Oleksii, 42, procurado pela Ucrânia por uma grave lesão corporal

5. Thiago Henrique MOREIRA, 38, procurado pelo Brasil pelo assassinato agravado de sua ex-namorada.

6. Nuran MUSAEV, 37, procurado pela Rússia pelo assassinato agravado de duas mulheres.

7. Panayiotis NETZATI, 44, procurado por Chipre por sequestro, estupro e assassinato de uma mulher.

8. Bhadreshkumar Chetanbhai PATEL, 29, procurado pelos Estados Unidos por assassinar sua esposa.

A Unidade de Apoio à Busca de Fugitivos da Interpol, que coordena a investigação, será responsável por processar as informações recebidas do público em geral e encaminhá-las aos escritórios da Interpol nos países em questão.

"A violência contra mulheres e meninas é uma das violações mais comuns e persistentes dos direitos humanos", disse o secretário-geral da Interpol, Jürgen Stock, em um vídeo divulgado pela organização.

O governo francês apresentou segunda-feira 40 medidas visando melhorar a resposta à violência contra mulheres.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.