Acessar o conteúdo principal
Natal/Belém

Cristãos de Gaza são impedidos por Israel de celebrar Natal em Belém

Cristãos palestinos viajam à Belém, na Cisjordânia, para comemorar o Natal.
Cristãos palestinos viajam à Belém, na Cisjordânia, para comemorar o Natal. REUTERS/ Nir Elias

Fiéis do todo o mundo se reúnem na Igreja da Natividade de Belém, nesta terça-feira (24), onde, segundo a tradição cristã, Jesus nasceu. No entanto, a cidade está localizada na Cisjordânia, território palestino ocupado por Israel há mais de 50 anos. Para chegar até lá, os cristãos da Faixa de Gaza devem obter uma permissão especial das autoridades israelenses. Neste ano, Israel limitou ainda mais as autorizações de viagem aos moradores do enclave.

Publicidade

Segundo as autoridades da Faixa de Gaza, 951 cristãos palestinos fizeram o pedido à Israel para poder viajar à Belém. Mas apenas 192 pessoas obtiveram a permissão de deixar o enclave. O órgão israelense encarregado das operações civis nos Territórios Palestinos (Cogat), informou que as autorizações foram "emitidas com base na avaliação de segurança". No entanto, não indicou quantos “vistos” concedeu este ano.

De acordo com as autoridades religiosas palestinas, apenas uma em cada cinco pessoas que realizaram o pedido recebeu a permissão de sair de Gaza, um número particularmente baixo este ano. Wadi Abu Nassar, porta-voz das Igrejas da Terra Santa, lembra que as autoridades isralesenses fizeram promessas de aumentar a quantidade de autorizações aos palestinos de Gaza neste ano. Para ele, celebrar o Natal em Belém como cristão é "um direito humano que deve ser respeitado".

Quantidade de cristãos em Gaza diminui

O número de cristãos na Faixa de Gaza tem diminuído regularmente, especialmente com a chegada ao poder do movimento islâmico Hamas no enclave palestino, em 2007. Segundo dados oficiais, atualmente não haveria mais de mil, em comparação com os sete mil cristãos contabilizados no território antes de 2007. Quase dois milhões de pessoas vivem atualmente neste território palestino.

Desde 2008, Israel travou três ofensivas militares sangrentas contra o Hamas em Gaza. O governo israelense acusa o movimento islâmico de tirar proveito das permissões de viagem para planejar ataques. Enquanto isso, Tel Aviv continua impondo um severo bloqueio aéreo, terrestre e marítimo a este pequeno território que sofre com a pobreza, com a escassez de água e alimentos e está confinado entre o Egito, Israel e o Mar Mediterrâneo.

Manjedoura de Jesus

A grande atração do Natal deste ano em Belém é uma relíquia concedida pelo Vaticano: um fragmento do que se acredita ser a manjedoura de Jesus, que foi privada da Terra Santa por mais de 1.300 anos.

Em um período delicado na região, o porta-voz das Igrejas da Terra Santa, Wadi Abu Nasar, tenta lembrar aos fiéis que é preciso olhar para o futuro. "Aqui não é apenas o local de nascimento e crucificação de Jesus, é também o local da ressurreição. Apesar de todos os desafios, dificuldades, dores e problemas que enfrentamos, temos esperança em Deus e nas pessoas", afirma.

A festa de Natal costuma ser tensa em Belém devido ao conflito entre israelenses e palestinos. Em 2017, a decisão dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como capital de Israel provocou manifestações quase diárias nos territórios palestinos.

Mas, neste ano, Belém está recebendo um número significativo de turistas devido à relativa calma no conflito. O ministro do Turismo palestino, Rula Mayaa, explicou que 3,5 milhões de pessoas visitaram a cidade em 2019.

Um dos momentos mais importantes da festa de Natal de Belém é missa do galo na Igreja de Santa Catalina, ao lado da Basílica da Natividade. Ela será celebrada por Pierbattista Pizzaballa, administrador apostólico do Patriarcado Latino de Jerusalém. Espera-se que o presidente palestino, Mahmoud Abbas, também compareça ao evento. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.