Acessar o conteúdo principal
França/Austrália

Macron anuncia ajuda à Austrália para lutar contra incêndios florestais

O presidente francês Emmanuel Macron em frente ao palácio do Eliseu, em dezembro.
O presidente francês Emmanuel Macron em frente ao palácio do Eliseu, em dezembro. ludovic MARIN / AFP

O presidente francês propôs neste domingo (5) uma ajuda operacional imediata da França para a Austrália para lutar contra os incêndios que já deixaram 24 mortos no país.

Publicidade

Em um tweet publicado em inglês e francês, Macron pediu solidariedade “com o povo australiano diante dos incêndios que devastam o país”. Ele diz ter telefonado para o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, para oferecer uma “ajuda operacional imediata para lutar o fogo, proteger a população e preservar a biodiversidade”, diz o texto.

Segundo as autoridades australianas, as chamas que atingem a floresta já devastaram regiões inteiras do país e uma área equivalente à ilha da Irlanda. O governo australiano enviou reservistas do Exército, nesta segunda-feira (6), para atuarem nas áreas devastadas e anunciou fundos de US$ 1,4 bilhão para ajudar regiões atingidas. O premiê australiano foi criticado pela resposta lenta à emergência ambiental. Segundo o governo, a crise está longe de terminar, com a chegada de uma onda de calor.

Bolsonaro critica inércia de governo francês

Na última quinta-feira (2), o presidente brasileiro Jair Bolsonaro e o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, criticaram a “inação” do presidente francês sobre os incêndios na Austrália. Lorenzoni publicou diversos tweets denunciando o “silêncio ideológico de Macron. Em outro tweet, ele afirma que “Macron atacou o Brasil com “fake news”, porque Bolsonaro não se submete às ideias socialistas.”

Em uma reportagem publicada na semana passada, o jornal Le Monde destacou que as declarações do presidente francês sobre a má gestão do governo brasileiro dos incêndios na Amazônia, entre agosto e setembro, nunca foram “digeridas” por Brasília.

Os incêndios, resultado de uma aceleração do desmatamento desde o início do mandato de Bolsonaro, geraram tensão diplomática entre o Brasil e a França. O presidente brasileiro acusou a França de “colonialismo” e defendeu sua soberania depois das críticas de Macron sobre a falta de reatividade do Brasil.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.