Acessar o conteúdo principal
França/ Eleições municipais

Paisagem política incerta e reforço da extrema direita marcam início da campanha para eleições municipais na França

Destaque para o início da campanha para as eleições municipais na França, que serão realizadas em 15 e 22 de março.
Destaque para o início da campanha para as eleições municipais na França, que serão realizadas em 15 e 22 de março. Reprodução

As eleições municipais francesas estampam as páginas dos principais jornais nesta segunda-feira (13). Nos próximos dias 15 e 22 de março, a população vai às urnas eleger seus representantes para as prefeituras. Em Paris, Anne Hidalgo vai tentar um segundo mandato.

Publicidade

"Municipais: a campanha que pode mudar tudo" é a manchete de capa do jornal Aujourd'hui en France, que estampa a foto dos líderes dos principais partidos franceses, da extrema direita à esquerda radical, com o presidente Emmanuel Macron no centro.

O diário traz uma edição especial, detalhando os objetivos de cada partido nas principais cidades do país, como Lyon, Marselha e Bordeaux. Para Aujourd'hui en France, as eleições municipais serão "um teste decisivo para todos os partidos" e "uma etapa-chave antes das eleições presidenciais".

"Jamais na História da França os eleitores foram votar para prefeito em uma paisagem política tão incerta", afirma o jornal. Aujourd'hui en France explica que antes da era Macron, as eleições municipais dividiam o país em duas cores: azul, da direita, e rosa, da esquerda. Mas diante da recusa do presidente de se posicionar entre um lado e outro para fundar um novo movimento, o cenário começou a mudar. Resultado: boa parte dos franceses foram atraídos pelo partido atualmente no governo, A República em Marcha, e muitos foram conquistados pelas promessas da líder da extrema direita, Marine Le Pen.

O jornal Libération trata justamente do crescimento do partido Reunião Nacional que, depois de ter conseguido conquistar dez prefeituras em 2014, muda de estratégia. Segundo Le Pen, há seis anos, sua legenda apresentou candidatos em todos os municípios franceses, até mesmo onde sabia que não teria chance de vitória. Por isso, para as eleições municipais deste ano, a Reunião Nacional decidiu investir em menos candidatos - 400, no total - em locais onde têm forte popularidade.

Com discurso vanguardista, prefeita de Paris tenta se reeleger

Os jornais franceses também destacam o anúncio da candidatura de Anne Hidalgo, realizado no sábado (11). O jornal Le Figaro publica que a prefeita de Paris tentará um segundo mandato, investindo em suas "medidas-choque": uma capital 100% adaptada às bicicletas e com sua região central fechada aos carros. A socialista aposta em outros objetivos vanguardistas, como a criação de florestas urbanas e a luta contra o assédio sexual nas ruas de Paris.

Por enquanto, as estratégias da prefeita têm dado certo: ela encabeça a primeira pesquisa de intenções de voto sobre as eleições municipais, com 22,5% da preferência. Segundo Le Figaro, resta saber se Hidalgo conseguirá manter a liderança diante do candidato macronista, Benjamin Griveaux e da direita, Rachida Dati, ambos com 17% das intenções de voto.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.