Acessar o conteúdo principal
Luto/Basquete

Mundo presta homenagem à lenda do basquete Kobe Bryant

O ex-astro do basquete norte-americano e mundial, estrela dos Lakers de Los Angeles, Kobe Bryant, e sua filha, Gianna, considerada sua herdeira no esporte. Ambos morreram durante um trágico acidente de helicóptero neste domingo (26).
O ex-astro do basquete norte-americano e mundial, estrela dos Lakers de Los Angeles, Kobe Bryant, e sua filha, Gianna, considerada sua herdeira no esporte. Ambos morreram durante um trágico acidente de helicóptero neste domingo (26). Reprodução Twitter

Da cerimônia do Grammy às manchetes dos principais jornais do planeta, a trágica morte do ex-astro do basquete norte-americano, Kobe Bryant, em um acidente de helicóptero no domingo (26) domina o noticiário e as redes sociais desta segunda-feira (27), ecoando a memória do jogador de 41 anos dos Los Angeles Lakers. Cinco vezes campeão da Liga Nacional de Basquete dos Estados Unidos (NBA), Bryant foi também duas vezes campeão olímpico (Pequim/2008 e Londres/2012) e é considerado um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos.

Publicidade

Em dezembro de 2017, um gesto emblemático da equipe dos Los Angeles Lakers rendeu homenagem em vida a um dos mais importantes jogadores de sua história: o time retirou definitivamente de campo as duas camisas de Kobe Bryant, respectivamente marcadas pelos números 8 e 24. Nenhum Laker poderá usar estes números no futuro. Marcado pela força de seu jogo e por seu mental de aço, mas às vezes criticado por seu egoísmo, o "Black Mamba" era considerado o jogador norte-americano que mais marcou o basquete nos anos 2000, tendo sido eleito para o All-Star Game, o Jogo das Estrelas da liga, em 18 oportunidades. Bryant havia se aposentado do basquete profissional em 2016.

A tragédia deste domingo marcou os fãs do basquete e a imprensa mundial por um outro detalhe trágico: entre os noves passageiros do helicóptero, que se chocou numa região montanhosa de Calabasas, no sul da Califórnia, estava Gianna Bryant, conhecida como Gigi, a filha e herdeira do basquete de Kobe, de apenas 13 anos.

Gianna, cujo nome, como o de suas três irmãs, traz um acento italiano, lembrança dos anos de infância passados na Itália por seu pai, tornou-se uma espécie de sombra e era considerada por Bryant como sua herdeira. A relação entre os dois era tão intensa, que o jogador treinava pessoalmente as equipes por onde “Gigi” ou “Mamacita”, como ele carinhosamente a chamava, evoluía. Com um jogo forte e com arremessos parecidos com os do pai, ela já era considerada uma jovem esperança do basquete feminino norte-americano e seu destino era dado como certo: a WNBA.

Em 20 temporadas da NBA, Kobe Bryant marcou 33.643 pontos.
Em 20 temporadas da NBA, Kobe Bryant marcou 33.643 pontos. REUTERS/Lucy Nicholson

Seguindo os passos de seu pai, um modelo de profissionalismo ao longo de sua carreira com a camisa do Lakers, de 1996 a 2016, Gianna era, como ele, obcecada pelo basquete. "O que eu mais gosto em Gigi é a curiosidade, ela se interessa  por tudo... Em situações complexas durante uma partida, ela tem essa rara capacidade de analisar o que está acontecendo e me fazer a pergunta certa", disse o icônico jogador dos Lakers ao jornal Los Angeles Times em outubro passado. "É um privilégio vê-la jogar e como ela se move no chão. É uma loucura ver como a genética funciona", disse.

O acidente não deixou sobreviventes. Na manhã de domingo, acredita-se que Gianna, o pai e os outros passageiros se dirigiam a um torneio de basquete na Mamba Sports Academy, em Newbury Park, onde Gigi deveria jogar no domingo. Todos os jogos foram cancelados. No Twitter, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, escreveu que “Kobe era uma lenda na quadra e estava apenas começando o que seria um significativo segundo ato. Perder Gianna é ainda mais doloroso para nós, enquanto pais. Michelle e eu enviamos amor e orações a Vanessa e a toda a família Bryant neste dia impensável”. Um pouco mais cedo, o presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou na mesma rede social que se tratava de uma “notícia terrível”.

Estados Unidos chora uma estrela do esporte nacional

As homenagens no país de origem de Kobe Bryant começaram no próprio domingo, com a cantora Alicia Keys dedicando uma canção direto da noite do Grammy Awards, em Los Angeles, para o ex-jogador. Fãs e cidades de todo o país começam nesta segunda-feira a prestar uma série de homenagem à lenda da NBA. A prefeitura e o aeroporto internacional da “Cidade dos Anjos”, assim como o Madison Square Garden em Nova York, se enfeitaram com luzes roxas e amarelas, em memórias às cores da equipe dos Lakers.

Do lado de fora do Staples Center, onde milhões assistiam o ícone jogar, os fãs se reuniram, apesar das medidas de segurança adicionais estabelecidas para o Grammy Awards. "Nós simplesmente não sabíamos para onde ir", disse um grupo de fãs à rede de televisão norte-americana CNN.

Os jogadores dos Lakers voltavam para casa da Filadélfia quando souberam da morte de Bryant. Eles desembarcaram no aeroporto de El Segundo na tarde de domingo. As câmeras de televisão mostraram jogadores como James, Anthony Davis e Dwight Howard - o único Laker atual a ter jogado com Bryant - em lágrimas, saindo do avião.

Homenagens de Neymar e atletas de alto nível

O brasileiro Neymar, jogador do PSG, comemora o segundo gol na partida contra Lille com uma homenagem à ex-estrela do basquete norte-americano, Kobe Bryant, que morreu no domingo (26) em um desastre de helicóptero.
O brasileiro Neymar, jogador do PSG, comemora o segundo gol na partida contra Lille com uma homenagem à ex-estrela do basquete norte-americano, Kobe Bryant, que morreu no domingo (26) em um desastre de helicóptero. Reprodução Twitter

Nas redes sociais, a hashtag #RIPMamba liderava os trending topics mundiais nesta segunda-feira. As homenagens vieram também por parte dos atletas. O judoca francês duas vezes campeão olímpico, Teddy Riner, escreveu no Twitter: “Continua sendo difícil de acreditar...”. Outra lenda viva, dessa vez do golfe, Tger Woods se declarou “incrivelmente triste, é um dia trágico”. Engajado na luta contra o racismo, Kobe Bryant era um dos atletas que apoiava o jogador de futebol americano Colin Kaepernick, conhecido por se ajoelhar durante a execução dos hinos nacionais antes das partidas, como forma de protesto contra o que é considerada a política racista de Donald Trump.

No sábado, antes mesmo do trágico acidente, o sérvio Novak Djokovic, estrela do tênis mundial, declarou à ESPN norte-americana que “Kobe foi um grande mentor para mim”. O astro se referia ao momento em que teve um apoio especial do ex-craque dos Lakers, quando estava lesionado. O jogador brasileiro Neymar também fez questão de homenagear o jogador de basquete morto no domingo. Após a conversão de um pênalti contra o time de Lille, na França, seu segundo gol na partida, o atleta brasileiro se aproximou de uma câmera atrás do gol do estádio Pierre-Mauroy e desenhou com os dedos o número "24", sinalizando o número da camisa de Kobe Bryant nos Los Angeles Lakers, ao longo de sua carreira.

"Fui ver as mensagens nas redes sociais no intervalo, vi que Kobe tinha morrido", explicou Neymar ao francês Canal + após o jogo. “É uma grande tristeza para o mundo do esporte e para todos nós, não apenas os fãs de basquete, mas por tudo o que ele fez pelo esporte. Eu o conhecia e fiz essa celebração para ele, com seu número. Espero que ele descanse em paz", disse o brasileiro. Kobe Bryant e Neymar eram amigos desde que a estrela do basquete o visitou ainda no Barcelona. Os dois atletas não escondiam a admiração que sentiam um pelo outro. Bryant veio à França em outubro de 2017, para cumprimentar Neymar e seus companheiros de equipe do PSG.

O tenista espanhol Rafael Nadal também homenageou o atleta morto no acidente, após vencer Nick Kyrgios no Aberto da Austrália: “Ouvi as notícias quando acordei esta manhã, é muito triste. Ele foi um dos maiores esportistas da história. Ele merece aplausos", lançou o espanhol ao público nesta segunda-feira, que respondeu imediatamente.

"Não há palavras para expressar a minha dor e a tragédia de perder minha sobrinha Gigi e meu irmão Kobe Bryant, lamentou Shaquille O'Neal no Twitter. “Eu te amo e sentirei sua falta", completou o astro. Michael Jordan, o ídolo de Kobe Bryant, também reagiu com uma homenagem vibrante: “Estou chocado ao saber da trágica morte de Kobe e Gianna. Palavras não são suficientes para descrever minha dor”, reagiu, através de seu agente, o seis vezes campeão da NBA com o Chicago Bulls. "Meu amigo, uma lenda, marido, pai, filho, irmão, vencedor do Oscar e o maior Laker de todos os tempos se foi", escreveu no Twitter Magic Johnson, herói da infância de Bryant. "É difícil de aceitar."

A estrela do PSG Kylian Mbappé postou uma foto com Bryant com os dizeres “RIP LEGEND” e o mítico corredor Usain Bolt, o atleta mais premiado da história dos Jogos Olímpicos, afirmou ainda não “acreditar no que aconteceu”.

“Pesadelo”: polícia tenta evitar ida de multidão ao local do acidente

A causa do acidente com o helicóptero de Kobe Bryant continua desconhecida. A NTSB, a agência norte-americana responsável pela segurança do transporte, anunciou que havia enviado uma equipe de 18 pessoas para a Califórnia para participar de uma investigação. Questionada, a polícia de Los Angeles (LAPD) indicou que a falta de visibilidade era tanta que seus helicópteros foram deixados no chão até a tarde de domingo, quando o céu voltou a clarear. "A situação climática não atendia aos nossos padrões mínimos de voo", disse o porta-voz da polícia de Los Angeles, Josh Rubenstein.

"Em termos logísticos, é um pesadelo porque o local do acidente não é facilmente acessível", disse Alex Villanueva, um xerife do condado de Los Angeles, enviado para o local. Ele tentou dissuadir os fãs que gostariam de ir para lá, enquanto várias pessoas já convergiram para as colinas de Calabasas, causando engarrafamentos, o que atrasa a chegada de alguns investigadores. "É um terreno muito acidentado, muito perigoso mesmo em plena luz do dia e ainda mais no meio da noite", alertou.

Além das palavras, também há imagens. Como aquelas comoventes de LeBron James - que ainda não se pronunciou sobre a morte de Bryant - correm o mundo. No Instagram, no sábado, o último post de Kobe Bryant foi dedicado a seu ex-parceiro dos Lakers, Lebron James, que o havia superado como o terceiro maior cestinha da história da equipe de basquete californiana. “Continue crescendo seu jogo e traçando o caminho para os próximos”, despediu-se, sem saber, Kobe Bryant. A imagem comovente de LeBron James secando suas lágrimas com um lenço na noite de domingo, na pista do aeroporto de Los Angeles, viralizou ao redor do mundo.

Legado

Após consultas entre jogadores, franquias e a NBA, todos os jogos de domingo foram mantidos, após a tragédia. Em Atlanta e San Antonio, os jogadores deliberadamente não jogaram nos primeiros 24 segundos, em homenagem ao número de sua última camisa. Em Denver, um minuto de silêncio foi observado, mas inúmeros "Kobe, Kobe" cantados pelo público foram ouvidos.

Nas redes sociais, o tsunami de emoções se estendeu por todos os lados, apagando as críticas ao individualismo e à arrogância que marcaram sua carreira. "Black Mamba", jogador brilhante, foi um dos sete jogadores do mundo que marcou mais de 30.000 pontos durante sua carreira.

Também em termos financeiros, seu percurso foi excepcional: garoto-propaganda da Nike, que o apoiou apesar de uma acusação de estupro em 2003, que terminou com um acordo longe dos tribunais, Bryant, o jogador mais bem pago do planeta, acumulou nada menos de US$ 323,3 milhões em salários, incluindo US$ 25 milhões em sua última temporada.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.