Acessar o conteúdo principal

Covid-19: Prefeita de Paris decide restringir práticas esportivas e vai distribuir máscaras

A prefeita de Paris vai restringir os horários para a prática de exercícios durante o período de confinamento da população.
A prefeita de Paris vai restringir os horários para a prática de exercícios durante o período de confinamento da população. REUTERS - Charles Platiau

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, anunciou hoje que irá restringir os horários para práticas esportivas na capital a partir de quarta-feira (8). O principal alvo da medida são os praticantes da corrida.

Publicidade

O número expressivo de pessoas fazendo "jogging" em Paris, podendo espalhar gotículas de saliva e de suor no trajeto, tem sido criticado por profissionais da saúde. Eles denunciam "uma irresponsabilidade" em tempos de luta contra o coronavírus.

No momento em que os franceses iniciam a quarta semana de isolamento para frear a epidemia, a prefeita Anne Hidalgo disse que as práticas esportivas serão proibidas entre 10h e 19h na capital.

O governo francês autoriza a prática de exercícios durante uma hora por dia, em um raio de 1 quilômetro do domicílio, mas a presença constante de corredores nas calçadas e praças é apontada como um desrespeito em relação aos cidadãos que saem para fazer compras de primeira necessidade ou aqueles que dispõem de autorização para trabalhar.

Nos últimos dias, o tempo ensolarado levou milhares de praticantes do esporte às ruas. O diretor da rede de 39 hospitais públicos da região parisiense, Martin Hirsch, condenou esse "relaxamento" das medidas de prevenção. "Ainda tem muita gente nas ruas", reclamou Hirsch, antecipando um aumento do contágio da Covid-19.   

Estudos científicos mostram que gotículas de saliva, espirros, acessos de tosse e até a expiração, segundo pesquisas realizadas nos Estados Unidos, são as principais vias de transmissão do novo coronavírus. No caso dos corredores, além da respiração acelerada, gotas de suor podem se fixar em superfícies do mobiliário urbano. Vários estudos mostraram que o vírus sobrevive por algumas horas em suspensão no ar ou até dias em certas superfícies.

Dois milhões de máscaras para os parisienses

Hidalgo concorda com a decisão de colegas prefeitos que têm incitado o uso de máscaras e outros meios de proteção facial como uma barreira mecânica à propagação do vírus. "Está claro que não importa que tipo de máscara ou lenço protegendo o nariz e a boca é melhor do que nada", disse a socialista à rádio France Info.

Hidalgo informou que vai distribuir nos próximos dias 2 milhões de máscaras em tecido reaproveitáveis para os parisienses. Após cada utilização, elas deverão ser lavadas a uma temperatura de 60°C.

A socialista também planeja instalar pontos de higienização das mãos com gel hidroalcoólico. A prefeita lembrou que lavar as mãos várias vezes ao dia e manter o distanciamento físico continuam sendo gestos indispensáveis na luta contra o coronavírus.

A França registra quase 9.000 mortes provocadas pela Covid-19 desde 1° de março, das quais 6.494 ocorreram nos hospitais e 2.417 em casas de repouso para idosos. Em 24 horas, o país teve 833 óbitos adicionais, balanço em alta em comparação à véspera. O total de casos confirmados da Covid-19 chegou a 98.010 na noite de segunda-feira (6), contra 92.839 no domingo (5).

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.