Acessar o conteúdo principal

França propõe quarentena voluntária a franceses procedentes de fora da UE

O ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, informou que os franceses e os estrangeiros residentes  que chegarem à França serão convidados a respeitar uma "quarentena voluntária" de duas semanas.
O ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, informou que os franceses e os estrangeiros residentes que chegarem à França serão convidados a respeitar uma "quarentena voluntária" de duas semanas. REUTERS

Os franceses e os estrangeiros residentes permanentes que chegarem à França vindos de um país de fora da União Europeia serão convidados a respeitar uma "quarentena voluntária" de duas semanas, informou o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian. A medida entrará em vigor a partir desta quarta-feira (20).

Publicidade

Em entrevista ao canal de TV LCI, o chanceler disse que "pediremos aos franceses (...) que retornam à França e (que) residem na França para passar por uma quarentena voluntária de 14 dias". A medida se aplica apenas a pessoas que estavam em países que não pertencem à União Europeia, explicou Le Drian.   

As autoridades francesas contam com a "responsabilidade individual". O ministro acrescentou que os viajantes poderão ficar em quarentena em sua própria casa, ou em outro local de sua escolha. Ele não detalhou o que aconteceria caso as pessoas se recusarem a ficar isoladas.

Fronteiras fechadas

Quanto aos estrangeiros não europeus e não residentes, por enquanto eles continuam proibidos de viajar à França. As fronteiras externas da União Europeia estão fechadas desde 17 de março para tentar impedir a propagação da pandemia de COVID-19. As fronteiras internas, entre os países membros, também estão praticamente fechadas.

Todas as viagens desnecessárias entre países não europeus e países da UE estão suspensas. As pessoas só podem viajar por motivos de força maior, como problemas médicos. O estado de emergência sanitária em vigor na França obriga a todos os viajentes que entrarem no território a apresentar uma justificativa oficial.

Entre os países do bloco, as mercadorias continuam a transitar e os cidadãos europeus que vivem em regiões fronteiriças são autorizados a circular.

A França espera um relaxamento das restrições de movimento nas fronteiras internas da UE a partir de 15 de junho. "Quanto às fronteiras internas, temos acordos de reciprocidade com países vizinhos e pode-se imaginar que, progressivamente, desde que o fim gradual do confinamento funcione e a pandemia não recomece, poderemos reconsiderar estas medidas de fechamento", salientou Le Drian. "Acredito que, progressivamente, a partir de 15 de junho, poderemos iniciar uma flexibilização generalizada. Pelo menos é o que espero", completou.

No entanto, há uma exceção: viajantes espanhóis que chegam à França desde a última sexta-feira (15) devem respeitar uma quarentena. A medida foi tomada em reciprocidade à quarentena imposta por Madri a todos os viajantes que entrarem na Espanha até 24 de maio.

Sobre a abertura das fronteiras externas da Europa, ainda não há nenhuma definição ou data de flexibilização.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.