Acessar o conteúdo principal
Saúde/França

Na França, remédio contra diabetes pode ter matado até 2.000 pessoas

O Mediator foi consumido por 5 milhões de pessoas no mundo, desde que começou a ser vendido.
O Mediator foi consumido por 5 milhões de pessoas no mundo, desde que começou a ser vendido. AFP Foto/Fred Tanneau

Mediator, remédio contra diabetes utilizado para tirar a fome em regimes de emagrecimento, pode ter matado entre 1.000 e 2.000 pessoas, um número vem maior do que o anunciado inicialmente. A notícia foi publicada neste sábado pelo diário Le Figaro.

Publicidade

O medicamento contra a diabetes, utilizado como moderador de apetite, foi retirado do mercado francês em  2009. Os primeiros estudos indicam que o remédio causou 500 mortes na França desde o começo de sua comercialização, em 1976.

Hoje, o número apontado de vítimas pode ser duas ou quatro vezes maior do que o inicial, uma informação preocupante levantada por pesquisadores contratados pela Agência Francesa de Segurança Sanitária.  Ao tomar conhecimento dos novos dados, o ministério da Saúde francês convocou todos os epidemiologistas que trabalharam no caso das mortes provocadas pelo Mediator. A ministra da Saúde, Roselyne Bachelot, declarou que tudo será feito para esclarecer o caso.

Uma das pesquisadores explicou a diferença do número de mortos da seguinte maneira: os primeiros resultados foram baseados em um período de quatro anos e o último estudo leva em conta a mortalidade em um período de tempo mais longo.

Sintomas

Desde 1998, os médicos da Previdência Social francesa deram o alerta: Mediator é perigoso para a saúde. Os sintomas das vítimas são cansaço, falta de ar, causados pelo entupimento das válvulas cardíacas. O Mediator, cuja substância ativa é o benfluorex, é fabricado pelo laboratório Servier e é vendido em 140 países. O remédio não está registrado no Brasil.

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.