Acessar o conteúdo principal
Fraça/Emprego

França reduz lista de profissões abertas a não-europeus

Informática e contrução civil são os setores mais atingidos pelo corte de vistos de trabalho na França
Informática e contrução civil são os setores mais atingidos pelo corte de vistos de trabalho na França Getty Image/Peter Dazeley

O governo francês reduziu pela metade a lista de profissões abertas aos estrangeiros vindos de fora da União Europeia. A classificação criada em 2008, que incluía 30 famílias de profissões, foi restringida apenas aos empregos mais específicos e mais qualificados e transmitida aos sindicatos.

Publicidade

De acordo com as autoridades, o corte visa atender demandas significativas de mão de obra e limita a 15 atividades profissionais as autorizações de trabalho. Mas nada garante que elas sejam integralmente contempladas. Os prefeitos terão o poder de decidir diretamente sobre os vistos de trabalho, podendo limitá-los a apenas uma das profissões listadas, de acordo com seus interesses locais.

Os setores mais atingidos com as limitações são a construção civil e a informática, embora a autorização vá continuar a ser concedida aos engenheiros de sistemas.

Em abril, o ministro francês do interior, Claude Guéant, anunciou que seria preciso reduzir a imigração legal ligada ao trabalho. Para a França, a prioridade é formar os desempregados para ocuparem os postos vagos, ao invés de importar novos trabalhadores. Os sindicatos, como a CFDT, Confederação Francesa Democrática do Trabalho, ouvida pelo jornal francês Les Echos, denunciam a medida como nacionalista.

Em 2010, foram concedidos 20 mil vistos de trabalho no país, 80% destinados a pessoas que já residiam no território. A lista deve ser revista novamente em agosto de 2013.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.