Acessar o conteúdo principal
Paris/violência

Polícia de Paris reforça campanha de segurança para proteger turistas

Policiais uniformizados patrulhando em pontos turísticos de Paris.
Policiais uniformizados patrulhando em pontos turísticos de Paris. Flickr/ ar jean-louis zimmermann

Após reforçar a presença de policiais nos principais monumentos de Paris, a secretaria de segurança pública da capital francesa anunciou nesta terça-feira novas medidas para tentar proteger os turistas contra os casos freqüentes de violência.

Publicidade

Roubos no meio da rua, no interior de museus como o Louvre e até em locais de luxo levaram as autoridades francesas a reagir. Desde abril, cerca de 200 policiais vigiam diariamente a rede pública de transporte como trens, metrôs e ônibus, e os principais pontos turísticos e Paris como a Catedral de Notre Dame, a Torre Eiffel e a avenida Champs Elysées.

De acordo com o comunicado da secretaria de secretaria de segurança da capital, agora a polícia vai colaborar de maneira mais intensiva com os profissionais do setor de turismo e as embaixadas para criar uma “lista de hotéis que necessitam uma vigilância reforçada”. O objetivo é que os turistas sejam sensibilizados por suas representações diplomáticas para evitar determinados comportamentos e redobrar a vigilância em locais mais propícios para roubos e furtos. 

Mensagens e dicas deverão ser expostas em ônibus que fazem a ligação entre o aeroporto Charles de Gaulle e o centro de Paris. Também serão exibidas mensagens em japonês e chinês como já existem na rede do metrô parisiense.

A secretaria municipal de segurança vai divulgar aos turistas a importância e a facilidade de prestar queixa nas delegacias de polícia através de formulários disponíveis em 16 línguas.

Outra medida adotada foi o lançamento de uma nova edição do guia “ Paris em segurança total”, já traduzido em chinês, japonês, coreano, inglês, espanhol e que agora também ganhou uma versão em russo. O guia terá sua distribuição ampliada.

Em 2012, mais de 29 milhões de turistas visitaram a capital francesa. No mês de abril, os funcionários do Museu do Louvre fizeram greve em protesto contra as agressões sofridas por eles e também pelos turistas. No final de maio, várias lojas de luxo fizeram um apelo para uma atuação mais firme das autoridades contra a insegurança crescente em Paris que está afugentando os visitantes da capital e ameaçando vários empregos do setor turístico.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.