Acessar o conteúdo principal
França/Brasil

UPPs cariocas podem virar modelo para Marselha erradicar violência

O deputado socialista Henri Jybrayel, que se inspira nas UPPs cariocas para combater a violência em Marselha;
O deputado socialista Henri Jybrayel, que se inspira nas UPPs cariocas para combater a violência em Marselha; Divulgação

E se a UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) fosse um modelo de segurança para a França? Henri Jibrayel, deputado socialista e candidato à prefeitura da cidade francesa de Marselha, considera o Rio de Janeiro um dos melhores exemplos do mundo no combate à violência. Ele pretende implantar o modelo das UPPs cariocas para resolver o problema da criminalidade na bela cidade portuária do sul da França. 

Publicidade

Colaboração especial de Mélanie Nunes para RFI

A preocupação principal do deputado Henri Jibrayel é manter a segurança na cidade de Marselha, mergulhada numa espiral de violência sem precedentes. Neste ano de 2013, mais de quinze pessoas morreram por causa de acertos de contas entre gangues. Esse contexto pede propostas urgentes dos políticos que terminam a campanha eleitoral nas primárias socialistas que escolherão o candidato à prefeitura da cidade. As eleições serão realizadas nos dias 13 e 20 de outubro.

Entrevistado por Rádio França Internacional, Henri Jibrayel, convencido pela baixa de 70% da violência nas comunidades, acredita que a presença de mais de 400 policiais pode ser uma arma contra o crime.

“Marselha enfrenta grandes problemas; eu tentei ver como as grandes capitais lutam contra isso, em particular, o Rio de Janeiro. Eu noto que essas capitais têm um tipo de brigada que vem do corpo policial; em Marselha, o equivalente seria uma COS, ou seja, uma "Companhia de Operação Especial".

O político espera ter esse mesmo tipo de modelo, porque hoje a polícia nacional francesa não tem o direito, no código penal de procedimento, de revistar uma pessoa suspeita. Daí a proposta da COS: seria preciso mudar o código penal para permitir às forças policiais fazer uma revista corporal.

Henri Jibrayel pede ao governo que implante esta polícia especial em Marselha, convocando entre 300 e 400 homens. Eles vigiariam a cidade sete dias por semana, em todos os distritos.

 Marselha e a violência

O deputado francês faz questão de dizer que não quer que sua ideia seja confundida com "esquadrões da morte"; ele quer apenas formar equipes que possam prender pessoas suspeitas.

 "A situação é horrível, o que eu quero é que os habitantes e turistas possam sentir segurança. Nunca estaremos em um mundo perfeito, mas quero reduzir em grande parte essa criminalidade para que a paz possa voltar à cidade", observa Jibrayel. 

Para o deputado, o mais importante para Marselha hoje é a paz civil. E para alcançar esse objetivo, o modelo das UPPs é considerado o mais pertinente. "É uma implantação visual, territorial, com pessoas experientes. O que eu quero é que os cidadãos de Marselha vivam satisfeitos e possam sair sem medo", conclui Henri Jibrayel.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.