Acessar o conteúdo principal
Mali/assassinatos

Morte de jornalistas da RFI: pelo menos 35 suspeitos presos

RFI presta homenagem a seus enviados especiais assassinados no Mali
RFI presta homenagem a seus enviados especiais assassinados no Mali ©Pierre René-Worms

Pelo menos 35 pessoas foram detidas desde o assassinato dos dois enviados especiais da Rádio França Internacional – Ghislaine Dupont e Claude Verlon - ao norte do Mali, no sábado. A informação foi dada à AFP por uma fonte da segurança malinesa. Paralelamente Paris anunciou o reforço do contingente militar em Kidal, cidade onde aconteceram as mortes.

Publicidade

Policiais franceses chegaram na segunda-feira à capital Bamako para participar nas investigações. Segundo o jornal Le Monde, citando fontes malinesas e francesas, três dos quatro homens que participaram do sequestro dos jornalistas já tinham sido identificados.

A informação sobre as detenções foi confirmada por uma fonte administrativa de Kidal, que mencionou o interrogatório de “dezenas de pessoas nas últimas 48 horas”. Essa mesma fonte acrescentou que “em um carro abandonado não muito longe do local do crime, números de telefones importantes foram encontrados”. A outra fonte, por sua vez, afirmou que “as provas se acumulam”.

O Mali e a França prometeram que tudo será feito para encontrar os autores dos assassinatos de Ghislaine Dupont, 57 anos, e Claude Verlon, 55 anos, que foram executados pouco depois de terem sido sequestrados após realizarem uma entrevista com um líder tuaregue.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.