Acessar o conteúdo principal
França

Valérie Trierweiler, companheira de Hollande, é hospitalizada em Paris

Valérie Trierweiler e François Hollande.
Valérie Trierweiler e François Hollande. REUTERS/Philippe Wojazer

A companheira do presidente François Hollande, Valérie Trierweiler, está hospitalizada em Paris desde sexta-feira, logo depois que a revista Closer revelou uma suposta relação amorosa do líder socialista com a atriz de cinema Julie Gayet. Segundo o gabinete da primeira-dama, que só revelou hoje essa informação, Trierweiler foi internada para "fazer repouso e alguns exames". Ela tem alta prevista nesta segunda-feira. A presidência confirmou a hospitalização.

Publicidade

A jornalista Valérie Trierweiler, 48 anos, é divorciada e tem três filhos. Ela vive com François Hollande desde meados do ano 2000, quando ele ainda era oficialmente companheiro de Ségolène Royal, com quem teve quatro filhos. Em dezembro, a imprensa revelou que Trierweiler estava morando em uma ala separada do Palácio do Eliseu há vários meses, o que significaria que a união com Hollande estava abalada.

Em uma edição especial que chegou às bancas na última sexta-feira, a revista Closer afirma que o presidente francês, 59 anos, mantém desde meados do ano passado uma relação amorosa com a atriz francesa Julie Gayet, 41 anos, estrela do filme "Quai D'Orsay", atualmente em cartaz. Gayet participou, em 2012, de um clipe para a campanha presidencial socialista.

Falando em caráter pessoal e não enquanto presidente da República, Hollande declarou “lamentar profundamente” o desrespeito à “vida privada”, mas não desmentiu o caso com a atriz.

Hollande e a primeira-dama têm uma visita oficial prevista em fevereiro nos Estados Unidos. 

Caso não afeta popularidade de Hollande

Segundo uma pesquisa publicada hoje no Journal du Dimanche (JDD), a revelação da relação entre Hollande e Gayet não teve impacto na popularidade do presidente. Os franceses são tolerantes.

De acordo com 84% dos entrevistados, eles não mudaram de opinião sobre Hollande ao saber do caso. Em compensação, 13% declaram ter ficado com uma imagem negativa do líder socialista. Mais de três quartos dos entrevistados (77%) estimam que o assunto é de carátar pessoal e só diz respeito a Hollande. Outros 23% consideram que o assunto faz parte da "vida pública" do chefe de Estado.

Entrevista de terça-feira comprometida

A imprensa francesa acha que a revelação vai atrapalhar a entrevista coletiva do presidente agendada para a próxima terça-feira. Hollande planejava dar uma guinada em sua comunicação para reverter a queda de popularidade, falando em economia e incentivos às empresas para superar a crise, mas o cenário planejado foi comprometido pela crise na vida pessoal do chefe de Estado.

A situação de Hollande é complicada e inédita na história da França. Enquanto companheira oficial, Trierweiler desempenha o papel de primeira-dama. No entanto, muitos franceses questionam que direito ela tem de morar no Palácio do Eliseu, ter assessores e dar despesas aos cofres públicos, se ela já não divide mais a vida do presidente.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.