Acessar o conteúdo principal
França/Moda

Estilista Jean Paul Gaultier abandona o prêt-à-porter

O estilista Jean Paul Gaultier deixará de apresentar coleções de de prêt-à-porter após cerca de 40 anos de carreira.
O estilista Jean Paul Gaultier deixará de apresentar coleções de de prêt-à-porter após cerca de 40 anos de carreira. Allo-News.com

O estilista Jean Paul Gaultier anunciou que vai suspender todas as coleções de prêt-à-porter. O francês pretende se concentrar apenas na alta-costura e em sua linha de perfumes. A última coleção do “enfant terrible” da moda será apresentada no dia 27 de setembro, durante a semana de desfiles parisienses.

Publicidade

Após cerca de quatro décadas de carreira, Gaultier vai interromper as atividades de prêt-à-porter de sua marca. Em uma carta enviada na segunda-feira (15) ao jornal especializado Women's Wear Daily (WWD), o estilista, de 62 anos, explicou que a decisão foi tomada por causa do ritmo cada vez mais acelerado das coleções, que “não deixam nenhuma liberdade e tempo necessários para encontrar novas ideias e inovar”. Em um comunicado divulgado em seguida, o estilista informou que pretende “se concentrar no desenvolvimento de suas atividades de alta-costura, perfumaria e colaborações industriais”.

Gaultier é um dos poucos a fazer parte da semana de desfiles da alta-costura, o seleto grupo formado por cerca de 20 maisons, que produzem peças sob medida, fabricadas na França. Mas o estilista, que se tornou famoso por suas blusas listradas, inspiradas nos marinheiros, e por suas tentativas de impor o uso de saias para homens, também ganhou fama por causa do sucesso de suas fragrâncias, como Le Male.

A marca Jean Paul Gaultier chegou a contar com a Hermès como acionista, na época em que o estilista era diretor artístico da tradicional maison de lenços de seda, entre 2004 e 2010. Mas após sua saída do cargo, o grupo de luxo interrompeu a parceria e, desde então, a grife pertence parcialmente ao espanhol Puig, dono de marcas como Nina Ricci, Paco Rabanne e Carolina Herrera. Já a licença de fabricação e comercialização de perfumes da empresa pertence ao grupo Beauté Prestige International. No entanto, um acordo prevê que a exploração da atividade de fragrâncias de Gaultier passará para as mãos de Puig em 2016.

Personalidade popular

Gaultier sempre contou com uma grande adesão do público, mesmo se suas criações, inclusive no prêt-à-porter, onde as peças são realizadas em escala industrial, não eram acessíveis a todos. Além dos desfiles espetaculares, com personalidades que levavam os fotógrafos à loucura – como Madonna com seu sutiã em forma de cone, nos anos 1990, ou, mais recentemente, a “mulher barbada” Conchita Wurst – o francês cultiva uma imagem popular, lembrando sempre que possível que vem de uma família modesta da periferia de Paris.

As inúmeras parcerias com outras marcas e participações em programas de televisão contribuíram na construção do mito de um estilista que, ao lado de Karl Lagerfeld, é um dos poucos que pode ser reconhecido nas ruas. Uma bem-sucedida retrospectiva sobre seu trabalho, que está rodando pelo mundo nesse momento, comprova sua celebridade.

No entanto, ao contrário das demais marcas de moda que atuam no mesmo posicionamento, Gaultier desenvolveu pouco as atividades de acessórios, como bolsas e sapatos, que representam hoje a principal fonte de lucros das empresas no setor do luxo.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.