Acessar o conteúdo principal
França

Médica alcoólatra é presa após morte de paciente em cesariana

Anestesista sendo levada para interrogatório depois da morte de uma paciente durante o parto.
Anestesista sendo levada para interrogatório depois da morte de uma paciente durante o parto. captura vídeo

Uma anestesista belga de 45 anos está presa desde quinta-feira (2), no sul da França, acusada de homicídio culposo com agravante na morte de uma paciente durante uma cesariana. A médica, que não teve a identidade revelada, reconheceu que sofre de alcoolismo.

Publicidade

A tragédia aconteceu na Maternidade de Orthez, na região dos Pirineus Atlânticos, no sul da França. O acidente anestésico fatal aconteceu na madrugada do dia 26 para 27 de setembro passado, durante um parto cesárea praticado sob anestesia geral. A parturiente de 28 anos teve uma parada cardíaca durante o procedimento. Ela chegou a ser transferida para um hospital maior, em Pau, mas não resistiu e morreu no dia 30. A criança foi salva.

Convocada pela polícia no dia da morte da paciente, a anestesista se apresentou na delegacia com 2,4 g/l de álcool no sangue. Em seu depoimento, ela relatou aos policiais que sofria de um "problema patológico" de dependência de álcool e bebia para superar uma depressão.

A médica não tinha vínculo empregatício com a maternidade. Formada desde 1999, ela teve contratos de curta duração na França e na Bélgica. Em Orthez, ela fazia parte de um quadro de profissionais liberais e tinha começado a trabalhar recentemente, no dia 12 de setembro.

O procurador-geral da República de Pau, Jean-Christophe Muller, informou que a anestesista foi indiciada por homicídio culposo com agravante. Se for condenada, ela poderá pegar até cinco anos de prisão. O procurador esclareceu que não foi possível apurar se ela estava alcoolizada durante o parto cesárea, mas a equipe médica que trabalhou com a anestesista assinalou "um comportamento estranho" à polícia. "Naquela noite, ela estava com dificuldades para se comunicar e com reflexos lentos", declararam testemunhas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.