Acessar o conteúdo principal
França/Terrorismo

Polícia identifica suspeitos de atentado contra Charlie Hebdo

Polícia divulga foto dos dois suspeitos de terem cometido antentado contra a sede do Charlie Hebdo.
Polícia divulga foto dos dois suspeitos de terem cometido antentado contra a sede do Charlie Hebdo. securité.interieur.gouv.fr

As autoridades francesas divulgaram na madrugada desta quinta-feira (8) a identidade dos dois suspeitos de terem cometido o atentado contra a redação do Charlie Hebdo ontem. Os irmãos Said Kouachi, 34, e Chérif Kouachi, 32, ainda não foram presos. A polícia divulgou as fotos dos dois homens e pede a colaboração da população para localizar os dois homens. Um dos irmãos já havia sido condenado por atividades ligadas ao terrorismo.

Publicidade

Uma operação de busca foi lançada para deter os dois franceses suspeitos de terem planejado e executado o atentado contra a sede do jornal satírico Charlie Hebdo. Chérif e Said Kouachi estão "provavelmente armados e são perigosos", informa a polícia de Paris. A carteira de identidade de Said Kouachi foi encontrada ontem em um carro abandonado no norte de Paris.

Um jovem de 18 anos, que é suspeito de cumplicidade, está em prisão provisória. Mourad Hamyd se apresentou espontaneamente à delegacia de polícia de Charleville-Mézières, no norte da França, após saber que seu nome circulava como possível suspeito do crime. Até o momento, porém, não foi divulgado nenhum indício de que o jovem esteja envolvido com o ataque terrorista.Colegas de escola de Hamyd afirmam que ele estava na aula na hora do atentado.

A polícia realiza investigações em vários pontos da França, incluindo as cidades de Pantin e Gennevilliers, na periferia de Paris, Reims e Charleville-Mézières. As autoridades francesas pedem que "qualquer pessoa que tenha informações [sobre os suspeitos]" entrem em contato por meio do número de telefone especial: 0805 02 17 17.

Um dos suspeitos já era conhecido dos serviços antiterroristas

Chérif Said é um jihadista conhecido dos serviços de inteligênci franceses. Em 2008, ele foi condenado a três anos de prisão por ter participado de uma organização que enviava combatentes para lutar no Iraque. Quanto ao irmão mais novo, Chérif, a polícia não mantinha nenhum arquivo ou informação relevante sobre o suspeito.

Atentado é o pior da história

Pelo menos 12 pessoas morreram, incluindo dois policiais e vários jornalistas, em um ataque nesta quarta-feira (7) à redação do jornal satírico francês Charlie Hebdo, no 11° distrito policial de Paris, perto da Praça da Bastilha. Dois homens encapuzados invadiram a sede do jornal às 11h30 no horário local (8h30 pelo horário de Brasília), armados com metralhadoras Kalachnikof. Sete pessoas ficaram feridas, sendo quatro em estado grave.

Fuga

Os dois atiradores fugiram com a cobertura de um terceiro comparsa que aguardava na rua com um carro ligado. O jornal estava sob proteção policial especial, porque era considerado um alvo possível de atentados por extremistas. Na fuga, os criminosos atiraram contra um carro da polícia, abatendo dois policiais. Eles escaparam em direção à zona norte da capital.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.