Acessar o conteúdo principal
França

AirBNB encarece Paris, cidade com maior número de ofertas do site

O Marais, um dos bairros de Paris mais populares no AirBNB.
O Marais, um dos bairros de Paris mais populares no AirBNB. Sacha Barinova / RFI

Com 40 mil opções de acomodação, Paris se tornou a cidade com o maior número de ofertas no AirBNB, site que oferece aluguel de apartamento entre particulares. A notícia vem acompanhada de um outro dado que preocupa os parisienses: cerca de 25 mil imóveis da capital foram transformados ilegalmente em acomodação para turistas, tornando ainda mais escassas as opções de moradia a preço acessível para os locais.

Publicidade

Paris ultrapassou Nova York (30 mil) e Londres (25 mil) na quantidade de anúncios no AirBNB, mesmo tendo uma área cerca de 15 vezes menor. A exemplo do que já ocorreu em Nova York, a indústria hoteleira parisiense questiona a legalidade do serviço, que oferece acomodações que não precisam pagar todos os encargos exigidos dos hoteis. A acusação, claro, é de concorrência desleal.

O diretor do AirBNB fará uma visita à prefeitura de Paris nesta quinta-feira (26) para discutir os detalhes de uma taxa de estadia que o governo francês exige dos proprietários. Em tese, o AirBNB deveria repassar o valor deste imposto para ao governo francês, mas, na prática, poucos proprietários estão cobrando a taxa de seus inquilinos.

Caro demais para os locais

O problema dos parisienses com o AirBNB, no entanto, vai além dos impostos. A cidade já sofre há anos com a escassez de moradias para os parisienses, que hoje já não podem mais alugar apartamentos dentro da cidade a preços compatíveis com o salário mínimo, de cerca de € 1,4 mil, ou com a renda média francesa, de € 1,7 mil.

Como o aluguel por semana ou temporada para turistas é muito mais lucrativo do que o mensal para locais, muitos proprietários convertem seus imóveis em acomodação para viajantes.

O jornal Libération desta quinta-feira (26) diz que o serviço do AirBnb é um sucesso, mas que ameaça o equilíbrio urbano de Paris, uma cidade cada vez menos acessível a seus cidadãos. O jornal dá como exemplo o tradicional bairro do Marais, no centro histórico da cidade, cujos imóveis estão sendo tomados apenas por turistas.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.