Acessar o conteúdo principal
França/Amor

Prefeitura vai retirar milhares de "cadeados do amor" de ponte de Paris

Cadeados do amor na Pont des Arts, em Paris, serão retirados
Cadeados do amor na Pont des Arts, em Paris, serão retirados Patricia Moribe

Muito romantismo pesa: a prefeitura de Paris vai retirar, a partir da segunda-feira (1°), centenas de milhares de "cadeados do amor" colocados na famosa Pont des Arts, sobre o rio Sena. A ponte, que oferece uma das melhores vistas da capital francesa, é conhecida mundialmente pelos cadeados que os casais colocam ao longo do parapeito antes de jogar a chave no rio.

Publicidade

Mas, no ano passado, parte do gradeado da ponte desabou, sem causar vítimas, em razão do peso do metal. Alegando "degradação do patrimônio e risco para a segurança dos visitantes", a prefeitura decidiu remover permanentemente os cadeados."Vamos retirar quase um milhão de cadeados, pesando cerca de 45 toneladas", explicou Bruno Julliard, vice-prefeito de Paris.

A prefeitura irá inicialmente substituir os painéis de madeira da ponte por "obras de vários artistas" antes de instalar "painéis de vidro", no outono. "É um pouco bobo e uma pena", lamentou John, de 57 anos, enquanto caminhava de braços dados com Marion, de 42 anos, sua "companheira ilegítima". "Há um simbolismo em prender um cadeado para selar o seu amor nesta ponte, aqui em Paris, a cidade do amor", diz esse turista do sul da França.

Criar um monumento

"Eles poderiam juntar todos os cadeados e criar uma espécie de estátua ou monumento", sugere o argentino Guillermo, de 33 anos, que, mesmo sabendo da retirada dos objetos na segunda-feira, resolveu colocar um na esperança de se casar com sua namorada. O guia Vincent Jouaneau, que acompanhava dois casais filipinos, disse que passará a levar os próximos turistas apaixonados à Pont Neuf, a algumas dezenas de metros, para colocar os cadeados em volta da estátua de Henri IV.

Mas a prefeitura já está preparada para coibir a colocação dos objetos em outras pontes, como a do Archevêché, atrás da catedral de Notre-Dame, outro local preferido pelos casais. "Nós desejamos que Paris continue sendo a capital do amor e do romantismo", disse Bruno Julliard, o vice-prefeito da cidade, anunciando uma campanha para sensibilizar os apaixonados a testemunhar o seu amor de outra maneira, como por meio de "selfies".

Origem

De Roma a Moscou, passando por Berlim, os cadeados do amor viraram febre em várias cidades europeias e são geralmente tolerados pelas autoridades. A prática parece ter começado em Roma, popularizada por dois romances de Federico Moccia, "Três Metros Acima do Céu" (1992) e "Sou Louco por Você" (2006). Neste último, os protagonistas colocam um cadeado com seus nomes em uma luminária da ponte Milvio, próxima de Roma, se beijam e jogam a chave no rio Tibre. O fenômeno se tornou mundial, com locais para colocar cadeados em países como Uruguai, China e Marrocos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.