Acessar o conteúdo principal
Ecologia

França proíbe distribuição de sacolas plásticas no comércio

Lei que proíbe sacolas plásticas entra em vigor dia 1° julho de 2017.
Lei que proíbe sacolas plásticas entra em vigor dia 1° julho de 2017. REUTERS/Michalis Karagiannis

A partir de 1° de julho, a distribuição de sacolas plásticas será proibida no comércio francês. A medida, que já é aplicada em vários supermercados em Paris e no interior do país, deve ser generalizada.

Publicidade

Se em diversas cidades brasileiras, como São Paulo, as tradicionais sacolas de plástico brancas, distribuídas nos supermercados, já são proibidas por lei, na França a discussão sobre o assunto levou anos até que a ministra da Ecologia, Ségolène Royal, anunciasse uma medida mais radical. A partir de agora, mercados, padarias e farmácias francesas não poderão mais propor sacolas plásticas, sejam elas pagas ou gratuitamente.

A regra diz respeito apenas às chamadas embalagens de uso único, com espessura inferior a 50 micrometros. Em troca, os comerciantes serão obrigados a propor sacolas reutilizáveis, com espessura superior ao limite imposto, ou sacos de papel.

A partir de 1° de janeiro de 2017, a legislação se intensifica, com a proibição sendo estendida à venda de frutas, legumes e queijos, o que atingirá também as feiras livres e quitandas. Já em 2020, sairão de circulação os pratos e copos descartáveis, com exceção dos recicláveis.

No entanto, a medida não deve mudar tanto a vida dos consumidores. Segundo uma pesquisa de opinião recente, 87% dos franceses estariam dispostos a diminuir a utilização de sacos plásticos.

Associações satisfeitas com a medida

A restrição dos sacos plásticos é bem vista pelas organizações ambientais. “É uma ótima medida, pois devemos nos acostumar a abrir mão desse tipo de embalagem”, comenta Benoit Hartmann, porta-voz da associação France Nature Environemment. No entanto, para ele, a mudança ainda não é suficiente, pois “ela ainda permite que alguns sacos plásticos, que não são distribuídos nos caixas dos supermercados, continuem circulando. Mesmo assim, essa é uma boa notícia para o meio ambiente”, completa.

Mas para o militante, esse tipo de medida só pode funcionar se for feita de maneira coletiva. “Continentes inteiros teriam que proibir o uso de sacolas plásticas para que possamos ter uma resultado imediato já que, infelizmente, a poluição não tem fronteiras”.

Segundo ele, a França é um dos países europeus que mais utiliza embalagens descartáveis, atrás apenas de Portugal. A cada ano, 17 bilhões de sacolas descartáveis são distribuídas no país. E quando são abandonadas, podem levar até quatro séculos para se degradarem. Além disso, boa parte desses dejetos terminam no fundo do mar, afetando a fauna e a flora marítima.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.