Acessar o conteúdo principal
Nice/ Ataque

Imprensa francesa relata noite de horror em Nice

O ataque com caminhão que fez dezenas de mortos em Nice, no sul da França é manchete dos jornais franceses desta sexta-feira, 15 de julho.
O ataque com caminhão que fez dezenas de mortos em Nice, no sul da França é manchete dos jornais franceses desta sexta-feira, 15 de julho. Valery HACHE / AFP

Toda a mídia se concentra na manhã desta sexta-feira (15) em desvendar os detalhes, as motivações e o autor do atentado de Nice, no sul da França, perpetrado ontem, durante os fogos de artifício do 14 de Julho e que deixou ao menos 84 mortos e 18 feridos.

Publicidade

Devido à hora do ataque, em torno das 22 horas e 30 minutos locais, poucos jornais franceses que chegaram às bancas nesta manhã tiveram tempo para imprimir a notícia em suas edições. Dos grandes jornais franceses, apenas Le Figaro traz a notícia em sua capa. A manchete: "O Horror, novamente" é publicada com uma imensa foto do caminhão, crivado de balas, utilizado pelo agressor para atropelar as pessoas que estavam na avenida beira-mar de Nice, quando o atentado aconteceu.

O jornal lembra que o ataque acontece apenas oito meses após os atentados de 13 de novembro em Paris. Le Figaro ressalta que, de 2012 a 2016, a França vem enfrentado momentos duros. E faz uma retrospectiva de todos os ataques terroristas que o país viveu em apenas 4 anos.

Desde os atentados de Toulouse e Montauban, quando Mohammed Merah matou sete pessoas, entre elas, três crianças na entrada de uma escola judia. Passando pelos atentados de 2015 em Paris, contra o jornal Charlie Hebdo e o supermercado Hyper Cacher, que deixaram 17 mortos, até os atentados de 13 de novembro, em Paris, em que terroristas fuzilaram agiram no Stade de France, em bares, restaurantes e na sala de shows Bataclan, na capital francesa, deixando 129 mortos.

O site do jornal Le Monde faz atualizações ao vivo do incidente, com a manchete: "84 mortos em Nice, estado de emergência prolongado". O diário explica que 18 pessoas estão em estado gravíssimo e que o motorista do caminhão foi abatido pela polícia. Le Monde abriu espaço para os leitores publicarem suas perguntas e dúvidas sobre o atentado, às quais responde, minuto a minuto, com as informações obtidas por sua equipe de reportagem.

O site de outro grande jornal da França, o Libération, destaca, além dos fatos, os boatos e informações incorretas que circularam logo depois as primeiras notícias sobre o atentado de Nice. "Sequestros em hoteis, incêndio em Paris, falsas fotos circularam na internet e nas redes sociais", publica o Libé. O jornal se dedica a reunir alguns dos principais boatos e desmenti-los, como um incêndio na base da torre Eiffel.

No site do principal jornal de Nice, o "Nice Matin", a manchete é "Um homem de Nice, de origem tunisiana, no volante de um caminhão". O jornal, que também faz um ao vivo com as informações de último minuto, ressalta que o agressor teria 31 anos e, além de atropelar as pessoas, também atirava na multidão enquanto dirigia. "Nice Matin" ressalta as autoridades fazem apelo por doação de sangue. "Se vocês puderem, façam doação de sangue porque os estoques dos hospitais de Nice estão quase esgotados", diz o site do diário.

"O Horror", diz a manchete de La Provence, outro jornal do sul da França. Um dos repórteres do jornal, informa, através de um vídeo feito nesta manhã e publicado no site, que entre as vítimas há muitas crianças. Emocionado, ele diz ter entrevistado uma moça de Marselha, que chegava à Nice para fazer a identificação dos corpos de sua tia e de sua prima, de apenas 2 anos de idade.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.