Acessar o conteúdo principal
França

Nice é a 6ª cidade francesa a proibir o burquíni nas praias

Muçulmana toma banho de mar coberta em Marselha, no sul da França.
Muçulmana toma banho de mar coberta em Marselha, no sul da França. REUTERS/Stringer

A prefeitura de Nice, cidade francesa atingida em julho por um atentado que matou 86 pessoas, anunciou nesta sexta-feira (19) a proibição do burquíni em suas praias, a exemplo de outras cidades costeiras do país. É a sexta prefeitura a tomar essa decisão, que provoca um vivo debate na França.

Publicidade

A primeira cidade a interditar o uso do traje de banho para muçulmanas foi Cannes, em 28 de julho. A decisão motivou Villeneuve-Loubet e Leucate, também na Riviera francesa, Sisco, na Córsega, e Touquet, no norte do país, a adotarem a mesma medida contra a vestimenta, que cobre as mulheres dos pés à cabeça, à exceção do rosto, das mãos e dos pés. A palavra burkini é a conjunção das palavras burca e biquíni.

O prefeito de Nice, o conservador Christian Estrosi, considera que "a ocultação integral do rosto ou trajar uma roupa de corpo integral para ir à praia não corresponde ao nosso ideal de relação social", conforme um comunicado enviado ao executivo francês.

Na quarta-feira (17), o primeiro-ministro Manuel Valls considerou que o surgimento recente do burquíni era "a tradução de um projeto político, de contra-sociedade, baseado na escravidão da mulher". Valls declarou que "compreende" e "apoia" os prefeitos de estações balneárias que, em um contexto de atentados jihadistas e aumento das tensões inter-religiosas, proibiram o traje.

Grandes marcas têm modelos de burquínis

A polêmica começou em março, quando grandes marcas de roupas europeias passaram a oferecer modelos de burquíni – primeiro no Reino Unido e, depois, na França. O Coletivo contra a Islamofobia na França anunciou que vai contestar na justiça todas as decisões municipais que proíbam o uso da peça. Duas decisões sobre o tema, inclusive a relativa a Nice, devem ser anunciadas pela justiça na segunda-feira (22).

Diversas personalidades da direita francesa pedem que o governo em Paris adote uma lei para banir definitivamente a roupa islâmica das praias e clubes do país, a exemplo do próprio Estrosi. Valls afirmou que, por enquanto, nenhuma lei nesse sentido é prevista pelo gabinete socialista.

Os burquínis são extremamente raros nas praias francesas. Por outro lado, muitas mulheres muçulmanas frequentam os balneários cobertas e usando o véu islâmico.

A França abriga a maior comunidade islâmica da Europa e, em 2010, proibiu o uso da burca e do niqab – vestimenta semelhante à burca, mas que não cobre os olhos – nas vias públicas.

Número de mortos em atentado em Nice sobe para 86

O contexto da ameaça de atentados terroristas acirrou as tensões no país em relação aos muçulmanos. Nesta sexta-feira, o número de vítimas do atentado de Nice, causado por um tunisiano extremista religioso, subiu para 86. Um homem que estava internado desde a noite de 14 de julho sucumbiu aos ferimentos. O ataque deixou mais de 400 feridos, dos quais 27 permanecem internados.

Com informações da AFP
 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.