Acessar o conteúdo principal
Onda de calor

Calor sufoca a França enquanto animais do zoológico tomam sorvete

Reuters/Regis Duvignau

O setor da construção civil acorda mais cedo, as crianças tomam banho em chafarizes e os zoológicos oferecem sorvete aos ursos, primatas e leões: é a França se adaptando à onda de calor que atinge um terço de todo o país.

Publicidade

Trinta e sete departamentos, numa faixa que se estende do sudoeste ao nordeste, estão em estado de alerta por causa da onda de calor que assola o país.

“As temperaturas mínimas oscilam em torno dos 20° e as máximas entre 36° e 38°, podendo chegar a 39° dependendo da região”, anunciou o instituto de meteorologia, lembrando que o calor está sendo mais sentido, sobretudo, nas zonas urbanas.

Na quarta-feira (24), o centro-oeste do país e a Ile-de-France registraram as maiores temperaturas: 37,4° em Blois, 37° em Mans e 38° na zona metropolitana de Paris.

Às 5h da manhã desta quinta-feira as temperaturas já estavam entre as casas dos 17° e 20°, chegando a 22° no centro de Paris.

As altas temperaturas combinadas com a falta de ventos provocaram nos últimos dois dias um aumento considerável da poluição de ozônio na capital francesa, ultrapassando o nível de alerta de 180 microgramas/m³.

Acordando mais cedo para evitar o calor

A subida abrupta do mercúrio nos termômetros obriga certos setores da economia a modificar a sua organização, como, por exemplo, o setor de construção civil.

A melhor prevenção, segundo Patrick Liébus, presidente da Confederação de Pequenas Empresas de Construção, é começar a jornada de trabalho mais cedo para evitar as horas mais quentes da tarde.

“Os operários não devem trabalhar sem camisa e, se possível, utilizarem algum tipo de chapéu e óculos escuros”, explicou o empresário.

Os patrões devem ainda oferecer descansos mais frequentes, à sombra, e água em abundância para os seus funcionários.

Sorvete de peixe ou de sangue de boi?

Nos zoológicos, todo cuidado tem sido pouco com os animais de zonas geográficas mais frias, não acostumadas a altas temperaturas.

“Para refrescar certos animais, nós lhe damos sorvete adaptado ao seu regime alimentar”, explicou Colomba de la Panouse, diretora-adjunta do jardim zoológico de Thoiry (Yvelines).

Os ursos negros da América do Norte têm direito a “sorvete de peixe”: cavalas congeladas em blocos de gelo. Os primatas preferem os “sorvetes de frutas”, com maças, uvas e melões em baldes de gelo, enquanto os leão passam a tarde lambendo blocos de sangue de boi congelado!

A dieta especial de sorvetes no zoológico deve continuar até sexta-feira (26) quando, enfim, a temperatura deve começar a abaixar, segundo o instituto de meteorologia.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.