Acessar o conteúdo principal
Acidente/Navio/França

Acidente em maior transatlântico do mundo deixa um morto na França

O Harmony of Seas aportou em Marselha na manhã desta terça-feira, 13 de setembro de 2016, vindo de Palma de Maiorca.
O Harmony of Seas aportou em Marselha na manhã desta terça-feira, 13 de setembro de 2016, vindo de Palma de Maiorca. REUTERS/Stephane Mahe

O acidente aconteceu na manhã desta terça-feira (13), no porto de Marselha, no sul da França. Um tripulante filipino de 42 anos, morreu e quatro marinheiros ficaram feridos, dois deles em estado grave, na queda de um bote-salva vidas do Harmony of the Seas, que é considerado o maior transatlântico do mundo.

Publicidade

O navio fazia uma escala no porto de Marselha. Segundo autoridades locais, o bote salva-vidas caiu durante um exercício de salvamento. O tripulante que morreu e os outros quatro feridos estavam no bote, que caiu de uma altura de 10 metros. Dois feridos estariam entre a vida e a morte, com traumas múltiplos, informou um porta-voz dos bombeiros de Marselha.

As circunstâncias exatas do acidente ainda não foram elucidadas, disse o vice-prefeito de Marselha, Julien Ruas. Mas o bote-salva vidas, que estava inicialmente no quinto andar do navio, caiu no mar e não no cais do porto, adiantou. O cruzeiro, registrado nas Bahamas, pertence ao armador americano Royal Caribbean.

Altura de um prédio de 20 andares

O Harmony of the Seas foi fabricado na França, nos estaleiros de Saint-Nazaire, e fez sua primeira viagem em maio deste ano, de Southampton, no sul da Inglaterra, a Barcelona. O navio é um colosso e pode transportar 6.400 pessoas, sendo 2.400 tripulantes.

O cruzeiro tem 362 metros de comprimento, 66 metros de largura e 72 de altura, o que equivale a um prédio de 20 andares, e pesa 120 mil toneladas. Além das centenas de cabines, o navio de luxo oferece 20 restaurantes, um bar onde os empregados são robôs, um parque aquático, jacuzzi suspensos.

O Harmony of Seas aportou em Marselha na manhã desta terça-feira vindo de Palma de Maiorca, mas as autoridades não informaram o número de passageiros que transportava. Esta é a segunda vez que ele faz escala no porto do sul da França. Ainda não se sabe se o navio deverá ficar imobilizado para as investigações sobre as causas do acidente.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.